Surfistas portugueses realçam

Surfistas portugueses realçam “sensação incrível” de competir na final na Nazaré

Os dois surfistas portugueses que disputaram hoje a final do campeonato de ondas gigantes na Nazaré, Alex Botelho e João de Macedo, destacaram as ótimas condições existentes e a sensação única de competir na Praia do Norte.

“Foi incrível estar hoje dentro de água e alcançar a final. Foi muito bom estar em ‘casa’, com condições ótimas, uma grande ‘vibe’ [vibração] na água e um apoio espetacular do público”, disse à Lusa Alex Botelho, quarto classificado nesta etapa do circuito mundial de ondas grandes da World Surf League.

Já João de Macedo, que obteve o quinto posto, salientou à Lusa a “sensação incrível” de disputar a final desta prova. “As coisas têm que se alinhar e isso hoje aconteceu. Para que tal seja possível, além da natureza, há muita gente a ajudar”, sublinhou.

E acrescentou: “Para que tudo corra bem é preciso desfrutar o momento. Tentei divertir-me e não pôr demasiada pressão. E resultou!”.

O experiente ‘big rider’ português considerou que a prova da Nazaré decorreu sob “condições clássicas”, destacando os tubos que permitiram “altas performances” por parte dos atletas.

João de Macedo vincou ainda que ficou “feliz” por ver o compatriota Alex Botelho disputar com ele a final.

“O Alex é da nova geração, ficou à minha frente, conseguiu um resultado importante e é fantástico vê-lo a progredir”, sublinhou, deixando ainda uma palavra de conforto pelo bom desempenho dos outros três surfistas portugueses que hoje estiveram na água (António Silva, João Guedes e Nic von Rupp), mas foram eliminados na primeira ronda.

João de Macedo deixou uma última palavra para os milhares de pessoas que invadiram a Praia do Norte: “Foi brutal o apoio do público. Estávamos dentro de água e conseguíamos ouvir os gritos de apoio. Não há palavras”.

O surfista sul-africano Grant Baker venceu a prova da Nazaré do circuito mundial de ondas gigantes, superiorizando-se aos adversários na grande final, entre os quais os dois praticantes portugueses.

Baker revelou, enquanto recebia o troféu de vencedor, que veio para a Nazaré há um mês e que fez questão de surfar “todos os dias”, desde as ondas mais pequenas e ordenadas às maiores e mais desafiantes, de forma a preparar-se para o evento de hoje.

Sobre a onda que lhe valeu a vitória, uma das maiores do dia, Grant ‘Twiggy’ Baker, disse apenas que quando viu a onda ir direita a si sentiu que “tinha de ir” com tudo.

“Aqui na Praia do Norte nunca se sabe onde é que a onda vai quebrar. Esperei, esperei, e, quando tive oportunidade, virei-me e fui. Foi incrível”, resumiu, depois de já ter agradecido o apoio da família, mas também dos adversários na competição.

“Foi um dia perfeito. Fantástico. Já me sinto em casa na Nazaré”, rematou.

Grant Baker esteve numa forma incrível na bateria decisiva e conseguiu uma pontuação total de 25,04 pontos, deixando o brasileiro Lucas Chianca (que tinha vencido a última edição da prova) no segundo posto (23,31 pontos) e o basco Natxo Gonzalez – que obteve nas meias-finais a única nota perfeita da prova (10 pontos) – no terceiro e último lugar do pódio (22,71 pontos).

Os portugueses Alex Botelho (22,06 pontos) e João de Macedo (20,87 pontos) terminaram no quarto e quinto lugares, respetivamente, ficando à frente do australiano Russell Bierke (18,89 pontos), sexto classificado.

Numa final com condições ‘de sonho’ e com as maiores ondas a aproximarem-se dos 15 metros, os competidores levaram ao delírio a multidão que se deslocou à Praia do Norte para ver o ‘canhão’ a funcionar.

DN // RPC

By Impala News / Lusa

Siga a Impala no Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS

Surfistas portugueses realçam “sensação incrível” de competir na final na Nazaré

Os dois surfistas portugueses que disputaram hoje a final do campeonato de ondas gigantes na Nazaré, Alex Botelho e João de Macedo, destacaram as ótimas condições existentes e a sensação única de competir na Praia do Norte.