Sporting perde Troféu Cinco Violinos para o Sevilha nas grandes penalidades

O Sporting saiu hoje derrotado nas grandes penalidades no Troféu Cinco Violinos em futebol, que é também o jogo de apresentação aos sócios, diante dos espanhóis do Sevilha, por 6-5, depois do 1-1 verificado no tempo regulamentar.

Sporting perde Troféu Cinco Violinos para o Sevilha nas grandes penalidades

Sporting perde Troféu Cinco Violinos para o Sevilha nas grandes penalidades

O Sporting saiu hoje derrotado nas grandes penalidades no Troféu Cinco Violinos em futebol, que é também o jogo de apresentação aos sócios, diante dos espanhóis do Sevilha, por 6-5, depois do 1-1 verificado no tempo regulamentar.

Os andaluzes abriram a contagem por intermédio do mexicano Jesús Corona, aos 15 minutos, mas Paulinho empatou o encontro já na etapa final, aos 82. Da marca dos 11 metros, o jovem ganês Fatawu foi o único a falhar, ao atirar com força contra a trave.

O avançado Francisco Trincão, emprestado pelos espanhóis do FC Barcelona, iniciou a partida como titular, no lugar que era de Pablo Sarabia, num ‘onze’ idêntico à base da temporada passada, com Rúben Amorim a manter o habitual esquema tático ‘3x4x3’.

Desta forma, o Sporting começou com os centrais Gonçalo Inácio, o ‘capitão’ Coates e Matheus Reis à frente do guarda-redes Adán, com Pedro Porro e Nuno Santos nas alas. O meio campo ficou entregue a Ugarte e Matheus Nunes, enquanto Pedro Gonçalves e Paulinho se juntaram, na frente de ataque, ao reforço internacional português Trincão.

Num nível de intensidade ainda longe do que é exigido quando forem jogos ‘a doer’, os ‘leões’ entraram desinspirados e sem grandes ideias para contrariar a formação do ex-FC Porto Julen Lopetegui, que viu outra antiga figura dos portistas abrir o ativo, aos 15.

O mexicano Jesús Corona, que saiu dos ‘dragões’ a meio da última época, aproveitou o erro defensivo dos sportinguistas, iniciado num mau alívio de Adán, na direção de um jogador contrário, com o eixo recuado desposicionado, para finalizar, sem dificuldades.

Durante a primeira pausa para hidratação, a meio da primeira parte, Rúben Amorim foi forçado a apostar mais cedo em outra ‘cara nova’ do plantel, o japonês Morita, em vez do ‘tocado’ Ugarte, mas o ritmo lento permaneceu até ao descanso, quando, aos 45+1, Nuno Santos ‘disparou’, de longe, na recarga a um canto, para uma boa defesa de Bono.

O Sporting manteve o mesmo ‘onze’ na segunda parte, ao contrário do Sevilha, que fez sete alterações, tendo a turma ‘leonina’ – com o terceiro equipamento, apresentado ao intervalo -, surgido de ‘cara lavada’ e a aproximar-se com mais perigo no último terço.

No entanto, os primeiros instantes da etapa complementar ficaram marcados por uma enorme confusão protagonizada por Marcos Acuña, com os ânimos a exaltarem-se na zona técnica dos ‘leões’ e também nas bancadas, com os adeptos a mostrarem o seu grande desagrado com a atitude do ex-sportinguista, substituído com muitos assobios.

Aos 62 minutos, Matheus Reis cabeceou sozinho ao primeiro poste, na sequência de um canto, falhando o alvo por pouco, antecedendo outras duas alterações no Sporting: saíram Matheus Nunes e Trincão, entraram Marcus Edwards e a contratação Rochinha.

Com Pedro Gonçalves a recuar e a fazer dupla com Morita no ‘miolo’, o inglês recém-entrado esteve muito perto de igualar o jogo, aos 75, num belo trabalho individual, em que ‘driblou’ até o guarda-redes, mas a finalização foi contra a malha lateral da baliza.

A insistência do Sporting neste segundo tempo acabou por ‘dar frutos’ aos 82, numa ‘bomba’ de Paulinho a empatar o jogo, após recuperação e passe de Pedro Gonçalves.

Até ao apito final, nota ainda para as entradas de Bruno Tabata e de Fatawu, além de uma queda de Marcus Edwards no interior da área, que foi assinalada pelo árbitro António Nobre, mas que, com a ajuda do videoárbitro, acabou por reverter a decisão.

Com a igualdade no final do tempo regulamentar, o vencedor do Troféu Cinco Violinos teve de ser conhecido através da marca das grandes penalidades, na qual o Sevilha foi mais forte, devido ao remate à barra do ‘miúdo’ Fatawu, no sexto disparo da decisão.

Jogo realizado no Estádio José Alvalade, em Lisboa.

Sporting — Sevilha, 1-1, 5-6 no desempate por grandes penalidades.

Ao intervalo: 0-1.

Marcadores:

0-1, Jesús Corona, 15 minutos.

1-1, Paulinho, 82.

Marcadores no desempate por grandes penalidades:

0-1, Gudelj.

1-1, Pedro Porro.

1-2, Lucas Ocampos.

2-2, Pedro Gonçalves.

2-3, Papu Gómez.

3-3, Rochinha.

3-4, Joan Jordán.

4-4, Bruno Tabata.

4-5, Suso.

5-5, Marcus Edwards.

5-6, Gonzalo Montiel.

5-6, Fatawu (à barra).

Equipas:

– Sporting: Adán, Gonçalo Inácio, Coates, Matheus Reis, Porro, Ugarte, Matheus Nunes, Nuno Santos, Pedro Gonçalves, Trincão e Paulinho. Jogaram ainda: Morita, Rochinha, Marcus Edwards, Bruno Tabata e Abdul Fatawu.

Treinador: Rúben Amorim.

– Sevilha: Bono, Jesús Navas, Rekik, Carmona, Marcos Acuña, Ivan Rakitic, Fernando, Óliver Torres, Erik Lamela, Jesus Corona e Rafa Mir. Jogaram ainda: Dmitrovic, Gudelj, Thhomas Delaney, En-Nesyri, Papu Gómez, Munir Mohamed, Joan Jordán, Pablo Pérez, Lucas Ocampos, Gonzalo Montiel, Kike Salas, Suso, Pedro Ortiz e Iván Romero,

Treinador: Julen Lopetegui.

Árbitro: António Nobre (AF Leiria).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Marcos Acuña (54), Bruno Tabata (54), Marcus Edwards (88) e Pablo Pérez (88).

Assistência: 31.075 espetadores.

DYRP/CYP // VR

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS