‘Skater’ Gustavo Ribeiro quer defender “número um” e chegar à medalha olímpica

O ‘skateboarder’ português Gustavo Ribeiro assumiu hoje a ambição de defender o título mundial ‘Street League’, que assegurou no Rio de Janeiro, no Brasil, e de alcançar uma medalha olímpica, em Paris2024.

'Skater' Gustavo Ribeiro quer defender

‘Skater’ Gustavo Ribeiro quer defender “número um” e chegar à medalha olímpica

O ‘skateboarder’ português Gustavo Ribeiro assumiu hoje a ambição de defender o título mundial ‘Street League’, que assegurou no Rio de Janeiro, no Brasil, e de alcançar uma medalha olímpica, em Paris2024.

‘Skater’ Gustavo Ribeiro quer defender “número um” e chegar à medalha olímpica. Quatro dias depois de se ter tornado no primeiro português a conquistar o título, ao vencer a ‘Super Crown’, etapa decisiva da edição de 2022 do circuito, Gustavo Ribeiro foi recebido por dezenas de amigos e familiares, no aeroporto de Lisboa. “Foi uma receção magnífica, não estava à espera que tantos amigos estivessem aqui à minha espera. É a primeira vez que Portugal tem um troféu destes, fico feliz por ser meu, espero que não seja o último e seja só o começo”, afirmou.

Leia depois
Autoridades russas transferem basquetebolista Brittney Griner para colónia penal (… continue a ler aqui)

E, para o futuro, mantém a ambição. “O foco não vai mudar muito. O foco vai ser o mesmo. O mais difícil vai ser manter o primeiro, depois de ter conseguido. Agora, o trabalho daqui para a frente é continuar em número um, tentar manter-me saudável, trabalhar muito e alimentar-me bem”, afirmou o português.

Pouco mais de um ano depois de ter conquistado um diploma na estreia olímpica da modalidade, com o oitavo lugar na prova de rua em Tóquio2020, Gustavo Ribeiro já cobiça um pódio em Paris2024. “Desde o ano passado, quando acabaram os Jogos Olímpicos, uma das minhas prioridades são os Jogos Olímpicos, daqui a dois anos. Estou muito confiante e quero ver se é à segunda que consigo trazer uma medalha”, vincou.

O atleta natural de Almada, de 21 anos, considerou “muito importante” o inédito título conquistado, reconhecendo que resultou de “alguns anos de dedicação”. Na última prova do circuito, Gustavo Ribeiro apenas foi ultrapassado pelo norte-americano Braden Hoban antes da sua última manobra, mas retomou a dianteira e assegurou o triunfo com o seu último ‘trick’. “Sinceramente, não consigo descrever a emoção, foi único e só no momento consegui explicar um bocadinho. Fiquei muito orgulhoso, porque treinei aquela manobra durante alguns dias. Tudo deu certo, consegui acertar e, com aquela manobra, fui campeão do mundo. Estou muito grato”, concluiu.

Antes da ‘Super Crown’, Gustavo Ribeiro tinha vencido a terceira e penúltima etapa, em Las Vegas, nos Estados Unidos, no fim de semana de 08 e 09 de outubro, depois de ter fechado o pódio na passagem por Jacksonville, seguida de um sétimo lugar em Seattle.

 

Impala Instagram


RELACIONADOS