Selecionador de râguebi adverte que Portugal tem de focar-se “primeiro” em ganhar

A seleção portuguesa de râguebi tem de focar-se “primeiro em ganhar os jogos” frente aos Países Baixos e à Rússia, de qualificação para o Mundial França2023, advertiu o selecionador, Patrice Lagisquet, em declarações à agência Lusa.

Selecionador de râguebi adverte que Portugal tem de focar-se

Selecionador de râguebi adverte que Portugal tem de focar-se “primeiro” em ganhar

A seleção portuguesa de râguebi tem de focar-se “primeiro em ganhar os jogos” frente aos Países Baixos e à Rússia, de qualificação para o Mundial França2023, advertiu o selecionador, Patrice Lagisquet, em declarações à agência Lusa.

Portugal visita os Países Baixos, no sábado, e a Rússia, em 17 de julho, em jogos que, em caso de triunfo com ponto de bónus, deixam os ‘lobos’ em segundo lugar do Europe Championship no final da primeira volta, mas o técnico francês só pensa em “garantir a vitória primeiro”.

Segundo o técnico, somar a bonificação ofensiva resultante de marcar mais três ensaios do que os adversários é “o objetivo fantástico, mas o primeiro é ganhar os dois jogos”, até porque somar o ponto extra apenas num dos encontros também pode deixar os portugueses “bem colocados para o segundo lugar”.

“Se pensarmos primeiro nos pontos de bónus, é a melhor forma de perdermos os jogos e os resultados”, frisou Lagisquet.

A começar pelo encontro de sábado, frente aos Países Baixos, adversário teoricamente mais acessível da competição, que subiu este ano ao Europe Championship após vencer o ‘play-off’ frente à Bélgica, em Bruxelas.

“Foi uma surpresa, mas se virmos o jogo deles frente à Geórgia, aos 25 minutos perdiam apenas por 15-8 [acabaram por perder por 48-15]. Pensar que será fácil é um erro. Mas temos jogadores experientes e sabemos o que queremos. É o meu trabalho alertá-los para isso e que se queremos pensar na qualificação para o Mundial temos, primeiro, de ganhar este jogo”, analisou Lagisquet.

E se, contra os recém-promovidos, Portugal terá de ser “organizado e paciente” para “conseguir controlar o jogo”, frente à Rússia terá de “ser forte nas fases estáticas”.

Nomeadamente “no ‘scrum’, no ‘maul’ e nos alinhamentos”, apontou o treinador, departamentos onde Portugal tem revelado dificuldades, mas “apresentou melhorias” no último encontro, na vitória (43-28) frente a Espanha.

“O nosso ‘scrum’ e também o ‘maul’ foram muito melhores do que nos jogos anteriores. E além disso, o ‘pack’ avançado que vamos ter na Rússia é mais forte do que aquele que tivemos frente à Espanha”, considerou o ‘Express de Bayonne’.

A seleção portuguesa viaja hoje para Amesterdão, onde defronta, no sábado, os Países Baixos, às 14:00 (hora de Lisboa), em partida da quarta jornada do Rugby Europe Championship 2021.

Os ‘lobos’ regressam a Lisboa após o encontro, onde vão preparar a deslocação a Novgorod, a mais de 400 quilómetros de Moscovo, para enfrentar a Rússia, em 17 de julho, no último encontro da primeira volta do apuramento para o Mundial.

Portugal ocupa o terceiro lugar do ‘Championship’, com cinco pontos, menos quatro e menos um jogo do que a Roménia, que segue em segundo lugar, com nove pontos.

A Geórgia, com cinco vitórias noutros tantos encontros, sagrou-se virtualmente campeã do Europe Championship 2021, título que conquistou por 13 vezes, 10 das quais nos últimos 11 anos.

O agregado de resultados do Europe Championship 2021 e 2022 serve de qualificação para o Munudial de França2023, para o qual se apuram diretamente os dois primeiros classificados, enquanto o terceiro segue para um torneio de repescagem mundial que apura apenas o vencedor.

 

SYL // NFO

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS