Rui Almeida quer Gil Vicente a “mandar” na receção ao Vitória de Guimarães

O treinador Rui Almeida afirmou hoje que o Gil Vicente deve “mandar” frente a um Vitória de Guimarães “forte”, num duelo minhoto que deve ser “sentido”, a contar para a sexta jornada da I Liga portuguesa de futebol.

Rui Almeida quer Gil Vicente a

Rui Almeida quer Gil Vicente a “mandar” na receção ao Vitória de Guimarães

O treinador Rui Almeida afirmou hoje que o Gil Vicente deve “mandar” frente a um Vitória de Guimarães “forte”, num duelo minhoto que deve ser “sentido”, a contar para a sexta jornada da I Liga portuguesa de futebol.

Apesar das recentes derrotas nos terrenos de FC Porto (1-0) e de Sporting (3-1), em “dois jogos de grau de dificuldade altíssima”, o técnico frisou que o plantel gilista está a “assimilar as suas ideias e a colocá-las em prática”, com jogadores preparados para dominarem a partida de domingo, frente a outro conjunto do Minho.

“Os dérbis são sempre importantes e querem-se sentidos, para que tiremos vantagem deles. Estamos em nossa casa e queremos mandar no jogo, assim como fizemos nos anteriores em casa [com Portimonense e Tondela]. Estamos preparados para nos apresentarmos fortes”, realçou, na conferência de antevisão ao desafio marcado para as 17:30, em Barcelos.

Para Rui Almeida, a “concentração” pode influenciar o sucesso da sua equipa perante um opositor “forte” e com “muita ambição”, ao qual não pode ser concedida “qualquer veleidade”.

“Vamos encontrar uma equipa que, no mínimo, luta sempre por lugares europeus, com adeptos sempre exigentes face a esses objetivos. É uma equipa forte, dinâmica nos corredores, que vem de uma troca de treinador, há semanas. Tem um treinador [João Henriques], com maturidade e experiência em relação à I Liga, que, fora, vai querer fazer pontos”, disse.

O ‘timoneiro’ barcelense reconheceu ainda que o grupo precisa de “corrigir alguns erros fatais” no desaire de quarta-feira, no Estádio José Alvalade, em Lisboa, onde o Gil Vicente esteve a vencer por 1-0 até aos 82 minutos, antes de consentir três golos ao Sporting num quarto de hora.

“A frustração existe sempre, mas passa rápido. No futebol, não temos tempo para ficar frustrados. Cometemos erros provocados pelo adversário. O primeiro golo [do Sporting] ressalta na cabeça do Nuno [Santos] e o segundo sai de um pontapé longo do Coates, que não quer isolar ninguém, mas afastar a bola da sua área”, lembrou.

Nesse desafio, os ‘galos’ surgiram com um ataque remodelado face a jogos anteriores, com o ponta de lança brasileiro Miullen a recuperar a titularidade que tivera no primeiro jogo oficial da época – triunfo caseiro sobre o Portimonense, por 1-0.

Rui Almeida explicou que as alterações procuraram arrastar os defesas do Sporting para zonas em que não se “sentiam confortáveis”, para “explorar a velocidade” de Miullen e, face às “características diferentes” dos atacantes do plantel, admitiu mais mexidas no setor ofensivo para criar “dificuldades e incerteza” ao Vitória.

O Gil Vicente, 13.º classificado da I Liga, com cinco pontos, recebe o Vitória de Guimarães, oitavo, com sete, em jogo da sexta jornada, agendado para as 17:30 de domingo, no Estádio Cidade de Barcelos, com arbitragem de Gustavo Correia, da Associação de Futebol do Porto.

TYME // AMG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS