Rúben Amorim diz que trabalhou muito parte psicológica para jogo com Moreirense

Rúben Amorim disse hoje que, dado o pouco tempo para preparar a deslocação do Sporting de Braga a casa do Moreirense, na quarta-feira, na 18.ª jornada da Liga de futebol, a parte psicológica dos jogadores foi muito trabalhada.

Rúben Amorim diz que trabalhou muito parte psicológica para jogo com Moreirense

Rúben Amorim diz que trabalhou muito parte psicológica para jogo com Moreirense

Rúben Amorim disse hoje que, dado o pouco tempo para preparar a deslocação do Sporting de Braga a casa do Moreirense, na quarta-feira, na 18.ª jornada da Liga de futebol, a parte psicológica dos jogadores foi muito trabalhada.

Os bracarenses conquistaram a Taça da Liga no sábado, diante do FC Porto (1-0), e vão realizar na quarta-feira o quarto jogo em 12 dias, tentando a sétima vitória consecutiva nas diversas competições.

Na antevisão da partida com os ‘cónegos’, o técnico disse não temer uma eventual euforia na equipa após a vitória sobre os ‘dragões’, mas considerou que a “série de jogos importantes” que a equipa tem feito pode “retirar a tal energia aos jogadores”.

“É difícil passar tanto tempo sem desviar a atenção do futebol e, porque não tivemos muito tempo para preparar o jogo, trabalhámos muito o psicológico dos jogadores. Eles sabem que o Moreirense está a trabalhar neste jogo há muito tempo, o que é uma vantagem, e isso vai criar-nos dificuldades, temos que ser muito agressivos desde o início”, disse.

O técnico lembrou a recente mudança de treinador no adversário, o primeiro ponto conquistado por Ricardo Soares na última jornada, em Tondela (1-1), e destacou a agressividade do Moreirense em casa, condição na qual conquistou as suas únicas vitórias no campeonato.

“Vi várias vezes o jogo com o FC Porto, em casa, e temos que ser igualmente muito agressivos, ter muita energia, porque senão vamos sofrer. É uma equipa muito bem organizada defensivamente, com linhas muito juntas, e vamos ter algumas dificuldades para arranjar espaço, temos que encarar o jogo como uma final”, disse.

Tormena, com uma lesão muscular na coxa esquerda contraída no sábado, é ausência certa, e o seu substituto terá “características diferentes”, porque “não se arranja um jogador tão rápido como o Tormena facilmente”.

O técnico admitiu a possibilidade de jogar com três defesas, com um lateral mais rápido a fechar à direita, em vez de três centrais ‘puros’.

André Horta perdeu espaço na equipa e não tem sido utilizado nos últimos jogos (nem no banco se sentou na final de sábado).

“A carreira de um jogador vive de momentos, contamos com o André, ele faz parte do projeto, do presente e do futuro do clube, mas por uma coisa ou outra não está a jogar de momento. Não temos uma equipa titular, depende de jogo para jogo. A culpa tem sido menos do André e mais dos outros, o João Novais entrou muito bem com o Sporting e o Palhinha e o Fransérgio têm feito jogos muito bons. Sei o que custa estar de fora, mas cada um tem que esperar a sua oportunidade”, explicou.

Sporting de Braga, sexto classificado, com 27 pontos, e Moreirense, 14.º, com 18, defrontam-se a partir das 20:15 de quarta-feira, no Estádio Comendador Joaquim de Almeida Freitas, em Moreira de Cónegos.

GYS // VR

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS