Rúben Amorim admite que momento do Sporting não ajudou jogadores a irem à seleção

O treinador Rúben Amorim admitiu hoje que o momento que o Sporting atravessa não ajudou os jogadores do clube a serem convocados para o Mundial de futebol Qatar2022, mas aconselhou-os a pensar já no Euro2024.

Rúben Amorim admite que momento do Sporting não ajudou jogadores a irem à seleção

Rúben Amorim admite que momento do Sporting não ajudou jogadores a irem à seleção

O treinador Rúben Amorim admitiu hoje que o momento que o Sporting atravessa não ajudou os jogadores do clube a serem convocados para o Mundial de futebol Qatar2022, mas aconselhou-os a pensar já no Euro2024.

Em conferência de imprensa, na Academia de Alcochete, o técnico dos ‘leões’ admitiu que os jogadores “acreditam sempre que podem ser chamados”, mas também que “são inteligentes” e, por isso, têm de olhar para a última convocatória “com naturalidade”.

“Obviamente, o momento da equipa não ajudou. Isso é normal, porque o futebol vive de muitas coisas, das escolhas, mas também do momento, a envolvência e isso também é importante. Não conseguimos ajudar esses jogadores, mas o que eles têm de pensar é já na próxima grande competição, que é o Europeu”, aconselhou Rúben Amorim.

Nesse sentido, o técnico lembrou que, agora, os seus jogadores que não foram convocados “têm dois caminhos – ou ficam tristes e deixam-se abater, ou seguem em frente” -, mas frisou que “têm um caráter muito grande” e, apesar de falharem esta competição, “podem pensar na outra”.

“Eu fui a dois mundiais e não sou, nem de perto, nem de longe, metade do jogador que são o Pote [Pedro Gonçalves] e o [Gonçalo] Inácio. Isso é que eles têm de meter na cabeça. São fases e no próximo estarão lá de certeza, porque nós, como clube, não queremos estar sempre em quinto e em sexto lugar”, reconheceu.

A posição que o Sporting ocupa na I Liga, de resto, tem mesmo um peso decisivo na não convocatória dos seus jogadores, que “têm qualidade para a seleção A”, mas essa “é uma escolha do selecionador e não tem de interferir” no trabalho que está a ser desenvolvido pelo clube.

“Se estivéssemos em primeiro lugar, de certeza que algum jogador do Sporting estaria lá. E as coisas são mesmo assim. É encarar isso desta forma e não entrar nesta onda de que a formação do Sporting está a trabalhar mal”, apelou Amorim.

Os ‘leões’, no entanto, vão ter Morita na seleção do Japão, assim como Coates e Ugarte na do Uruguai, que defronta Portugal no Grupo H da competição, mas não vão dividir o coração do técnico, que estará “100% com Portugal”, até porque os sul-americanos “têm jogadores do Sporting e tudo o que seja eliminar o Uruguai é a favor”.

“Vou estar a torcer com a bandeira e a camisola por Portugal, para que os jogadores do Uruguai venham mais cedo. Já disse ao Seba [Coates] que já marcámos os voos para que venham logo na fase de grupos”, gracejou o técnico dos ‘leões’.

O Sporting não tem qualquer jogador nos 26 convocados da seleção portuguesa para o Mundial2022 de futebol, que arranca em 20 de novembro, situação inédita em fases finais de grandes competições.

Apesar deste desaparecimento, o Sporting está omnipresente na seleção nacional, com oito jogadores formados no clube ‘verde e branco’, casos de Rui Patrício (Roma, Ita), Nuno Mendes (Paris Saint-Germain, Fra), Palhinha (Fulham, Ing), João Mário (Benfica), Matheus Nunes (Wolverhampton, Ing), William Carvalho (Betis, Esp), Cristiano Ronaldo (Manchester United, Ing), Rafael Leão (AC Milan, Ita), numa lista que inclui ainda o antigo capitão ‘leonino’ Bruno Fernandes (Manchester United, Ing).

O Campeonato do Mundo realiza-se no Qatar, entre 20 de novembro e 18 de dezembro.

Portugal está integrado no Grupo H, juntamente com Uruguai, Gana e Coreia do Sul, de Paulo Bento, tendo estreia marcada na competição para 24 de novembro, diante dos ganeses, no Estádio 974, em Doha.

 

SYL // AMG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS