PSG-Basaksehir vai ser retomado após alegado insulto racista

O jogo entre Paris Saint-Germain e Basaksehir, a contar para a sexta jornada da Liga dos Campeões de futebol, vai ser retomado esta quarta-feira, depois de ter sido interrompido por um alegado insulto racista.

PSG-Basaksehir vai ser retomado após alegado insulto racista

PSG-Basaksehir vai ser retomado após alegado insulto racista

O jogo entre Paris Saint-Germain e Basaksehir, a contar para a sexta jornada da Liga dos Campeões de futebol, vai ser retomado esta quarta-feira, depois de ter sido interrompido por um alegado insulto racista.

O jogo entre Paris Saint Germain e Basaksehir, a contar para a  sexta jornada da Liga dos Campeões, vai ser retomado esta quarta-feira, após ter sido interrompido por um alegado insulto racista, revelou o clube turco.

Apesar das tentativas para que as equipas voltassem ao terreno de jogo, foi decidido que a partida ficaria agendada para esta quarta-feira, afirmou à Agence France-Presse um dirigente do Basaksehir. “O jogo vai ser retomado na quarta-feira, no momento em que foi interrompido”, disse o responsável, acrescentando que “as condições não estavam reunidas” para que a partida fosse retomada na terça-feira, 8 de dezembro.

O incidente teve lugar aos 14 minutos do jogo, quando o quarto árbitro, o romeno Sebastian Coltescu, deu sinal ao árbitro principal, o compatriota Ovidiu Hategan, para expulsar o treinador adjunto do Basaksehir, Pierre Webo. Após ordem de expulsão, o antigo jogador dos Camarões queixou-se que Coltescu utilizou a expressão ‘negro‘, recusando-se a sair do campo e questionando: “Where is the ‘negro’? (Onde está o ‘negro’?)”.

Após vários minutos de indecisão, o ‘staff’ da equipa turca e os jogadores, seguidos pelos elementos do PSG, decidiram abandonar o relvado em forma de protesto, numa altura em que o jogo estava empatado 0-0.

Mais tarde, foi o próprio presidente do clube turco, Göksel Gümüsdag, a revelar que os jogadores só voltariam ao terreno de jogo se o quatro árbitro fosse substituído. “O quarto árbitro disse ‘negro’ perante o mundo inteiro. Se o quarto árbitro sair, então voltaremos. Se o quarto árbitro se mantiver, então o Basaksehir não vai voltar”, explicou.

LEIA MAIS
Benfica denuncia racismo contra a futebolista nigeriana Ucheibe em Famalicão

 

Impala Instagram


RELACIONADOS