Presidente do Vitória de Setúbal ainda acredita que Sporting aceite adiamento

O presidente do Vitória de Setúbal disse que ainda tenciona falar com os presidentes da Liga e do Sporting, tendo em vista possível adiamento do jogo frente aos ‘leões’, da 16.ª jornada.

Presidente do Vitória de Setúbal ainda acredita que Sporting aceite adiamento

Presidente do Vitória de Setúbal ainda acredita que Sporting aceite adiamento

O presidente do Vitória de Setúbal disse que ainda tenciona falar com os presidentes da Liga e do Sporting, tendo em vista possível adiamento do jogo frente aos ‘leões’, da 16.ª jornada.

Setúbal, 09 jan 2020 (Lusa) – O presidente do Vitória de Setúbal disse hoje que ainda tenciona falar com os presidentes da Liga Portuguesa de Futebol e do Sporting, tendo em vista um possível adiamento do jogo de sábado frente aos ‘leões’, da 16.ª jornada.

As declarações de Vítor Hugo Valente foram ainda antes de a Liga ter emitido um comunicado em que anuncia que o jogo se mantém para sábado, uma vez que os clubes não chegaram a um consenso para o adiamento.

Na conferência de imprensa realizada durante a tarde, Vítor Hugo Valente deu conta do estado do plantel e das suas esperanças em que ainda consiga um adiamento.

“Vamos ver se prevalece o bom senso. Os sintomas iniciais apontavam para gripe. Já tentei falar com Frederico Varandas e o presidente da Liga, mas não consegui. Claro que tenciono falar com o presidente do Sporting. O comunicado do Sporting sugere que os jogadores podem recuperar em pouco tempo destas situações. Sente-se que se insinua que o Vitória está a encenar”, afirmou.

Dizendo tratar-se de uma situação de emergência, o dirigente referiu ainda pretender “clarificar algumas vozes maldizentes que aí andam”, acrescentando que o clube “não brinca” com este tipo de situações.

“Durante a semana, o departamento médico indiciou um conjunto de jogadores com sintomas que se vieram a concretizar em incapacidade derivada de um vírus, que os impossibilitou de treinar e jogar. Estiveram ontem [quarta-feira] no Hospital Fernando Meira, Sílvio, Carlinhos e Semedo. Hoje, passaram pelo hospital da Luz, Artur Jorge, Éber Bessa, Brian Mansilla, Ghilas, Nuno Valente, Semedo, Hachadi, Makaridze, Bruno Pirri, André Sousa, Jubal, Berto, Zequinha e Nuno Pinto. Com sintomas, temos Mano, Milton e Leandrinho”, afirmou Vítor Hugo Valente.

Perante este cenário, segundo o presidente do clube sadino, “o Vitória deu conta à Liga, informou o Sindicato dos Jogadores e contactou o Sporting a dar conta desta situação”.

“A Liga disse-nos para encontrar uma data. Propusemos a data das meias-finais da Taça de Portugal, prova em que Vitória e Sporting já não participam”, referiu ainda, antes de a Liga já ter anunciado que, em virtude da falta de acordo entre os clubes, a data do mesmo mantém-se.

Vítor Hugo Valente não deu qualquer indicação do que irá fazer caso não haja mesmo adiamento: “Aqui tratamos de factos, não especulamos. Neste momento, não temos jogadores. Não treinaram e não podem jogar por estarem doentes e por indicação do departamento médico. Não coloco esse cenário, porque não acredito que o presidente do Sporting [Frederico Varandas], de quem sou amigo e começou para o futebol neste clube [Vitória de Setúbal] como médico, seja insensível a uma situação destas.”

“Falamos numa situação de saúde pública. Mandámos isolar o balneário. Já temos um fisioterapeuta no hospital e há um vice-presidente que não pode sair de casa. Temos de tomar providências para que não se alastre a quem vem ao estádio. Não imagino esse cenário nem acredito que isso aconteça. Se assim for, cá estaremos para tomar as devidas precauções”, prosseguiu.

Na ocasião, o médico vitoriano Ricardo Lopes historiou a situação: “Após o jogo em Famalicão, vários atletas começaram a apresentar sintomatologia compatível com uma infeção viral (termo correto), nomeadamente febre, sintomas gastrointestinais e respiratórios, tendo o pico de doença ocorrido entre os dias de ontem e hoje. Devido a este quadro, vários atletas tiveram necessidade de assistência hospitalar para realização de medicação endovenosa”.

“Todos os atletas afetados encontram-se a realizar medidas de suporte e controlo sintomático, bem como em isolamento de contacto com os restantes desde que iniciaram os sintomas. A maioria dos jogadores não apresenta condições a curto prazo para poderem ser expostos a situação de jogo”, completou.

Ricardo Lopes não precisou a origem do vírus, enquanto que, em relação ao comunicado do Sporting em que aludia à recuperação dos jogadores sadinos para o jogo, afirmou: “De certeza que não foi o médico do Sporting a dizer isso. Perante os quadros atuais, e não têm acesso aos nossos registos que são nossos e confidenciais, não é viável uma recuperação a tão curto prazo.”

O treinador do Vitória, o espanhol Júlio Velázquez, disse ser a primeira vez que lhe acontece uma situação destas em 23 anos.

“Jogar com três jogadores e os juniores não é digno de uma competição que está, em minha opinião, entre as seis melhores ligas da Europa. Não acredito que este jogo se jogue no sábado. Seria incrível!”, concluiu.

RIYP/VR // AMG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS