Portimonense tem de fazer a sua parte para aproveitar “dificuldades” do Sporting

O treinador do Portimonense afirmou hoje que a sua equipa tem de fazer a sua parte para aproveitar as eventuais dificuldades do Sporting na receção de domingo aos ‘leões’, em jogo da terceira jornada da I Liga de futebol.

Portimonense tem de fazer a sua parte para aproveitar

Portimonense tem de fazer a sua parte para aproveitar “dificuldades” do Sporting

O treinador do Portimonense afirmou hoje que a sua equipa tem de fazer a sua parte para aproveitar as eventuais dificuldades do Sporting na receção de domingo aos ‘leões’, em jogo da terceira jornada da I Liga de futebol.

“Quem tem de expor as eventuais dificuldades que o Sporting possa estar a sentir é o Portimonense. Se não fizermos a nossa parte, não interessa alguma fragilidade, ou não, do adversário. Temos de nos focar no que somos capazes de fazer e no elevado nível competitivo que temos de apresentar”, considerou Paulo Sérgio, na antevisão da partida.

A equipa ‘leonina’ foi eliminada da Liga Europa na quinta-feira, depois de ser goleada em casa pelos austríacos do LASK Linz (1-4), mas o técnico do Portimonense diz que o principal foco dos algarvios tem de ser o seu próprio futebol.

“Não interessa o que o Sporting fez ontem [quinta-feira]. Sabemos como joga, as características dos seus jogadores, as soluções que tem e é nisso que nos temos de focar. Não é estar à espera que o Sporting venha fraco para podermos fazer alguma coisa. Nós é que temos de estar fortes e é nesse sentido que trabalhamos”, reforçou.

Continuar a “crescer como equipa” é a receita de Paulo Sérgio, admitindo que o pecúlio pontual conquistado nas duas primeiras jornadas da I Liga ficou aquém das expetactivas e que a equipa “não pode dar 45 minutos de avanço”, como aconteceu em Barcelos.

“Disputámos duas partidas da liga com adversários do nosso calibre [Paços de Ferreira e Gil Vicente] e fazer um só ponto é manifestamente curto. A mensagem foi passada, os alertas foram dados. É importante que toda a gente acorde, porque já começou a competição”, frisou o treinador do Portimonense.

Paulo Sérgio assegurou ainda que só os jogadores com rendimento se vão manter-se no ‘onze’.

“O melhor ‘onze’ são eles que o escolhem. O rendimento será sempre privilegiado, mas nós hoje temos uma ferramenta nas nossas mãos: as cinco substituições. E os atletas têm de perceber que, se estiverem a meio gás nos primeiros 45 minutos, é provável que entre outro porque o nível é muito semelhante. O tempo vai dizer quem estabiliza na equipa”, afirmou.

Com o fecho de mercado a aproximar-se, o técnico do Portimonense disse que espera, até terça-feira, ter “mais um reforço”, sendo que os asiáticos Safawi Rasid e Salmani, já anunciados, ainda nem começaram a trabalhar com a equipa.

Sem adeptos nas bancadas, apesar da experiência marcada para o Santa Clara-Gil Vicente, Paulo Sérgio lembrou que “já havia condições” para ocupar 10 a 15 por cento da lotação do estádio com respeito pelas distâncias.

“Se falarmos de 10 a 15 por cento, se calhar vêm todas as pessoas que costumam vir, à exceção dos jogos dos ‘grandes’. O que dará mais trabalho é organizar como é que as pessoas entram ou saem do estádio. Mas há tantos eventos onde isso não parece ser controlado, parece que só o futebol é que tem de cumprir todas as regras e mais algumas. Atendendo a eventos de vária ordem pelo país fora, não faz nenhum sentido não termos gente nos estádios”, sustentou.

O jogo entre Portimonense, 13.º classificado, com um ponto, e Sporting, quinto, com três pontos (um jogo em atraso), realiza-se no domingo, às 21:00, no Estádio Municipal de Portimão, com arbitragem de Manuel Oliveira (Porto).

EYP // NFO

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS