Patrícia Mamona melhora recorde nacional do triplo salto em pista coberta

A portuguesa Patrícia Mamona voltou ontem a melhorar o recorde de Portugal do triplo salto em pista coberta, ao saltar 14,44 metros no Meeting de Madrid, numa autêntica final mundial.

Patrícia Mamona melhora recorde nacional do triplo salto em pista coberta

Patrícia Mamona melhora recorde nacional do triplo salto em pista coberta

A portuguesa Patrícia Mamona voltou ontem a melhorar o recorde de Portugal do triplo salto em pista coberta, ao saltar 14,44 metros no Meeting de Madrid, numa autêntica final mundial.

A atleta do Sporting, que fechou a sua prestação como a abriu, com saltos a 14,11 metros, pelo meio fez um concurso fantástico, aproximando-se do recorde de Portugal ao segundo ensaio, com 14,31, melhorando depois o recorde no terceiro salto para 14,38 e conseguindo o salto recorde no quarto ensaio, com 14,44 metros. A saltadora melhorou assim em oito centímetros o anterior máximo (14,36), que conseguiu em Pombal em 23 de fevereiro de 2014, e que igualou em 03 de fevereiro, em Karlsruhe, na Alemanha. Patrícia Mamona foi terceira classificada num concurso com seis mulheres acima dos 14,37 metros, algo que só aconteceu em três finais de mundiais de pista coberta (1999, 2004 e 2006), com a venezuelana Yulimar Rojas, campeã mundial de pista coberta em 2016 e 2017 e ao ar livre em 2018, a vencer com a marca de 14,92 metros, a melhor marca mundial do ano (e o salto mais longo que uma mulher conseguiu desde 2010).

Patrícia Mamona alcançou o terceiro lugar

A segunda classificada foi a norte-americana Tori Franklin (14,57, recorde pessoal ‘indoor’). Depois da sportinguista, ficaram Rouguy Diallo, da França (14,39), e Kristiina Makela, da Finlândia (14,38), ambas com recorde pessoal em pista coberta, e a espanhola Ana Peleteiro (14,37). Neste ‘meeting’, além de Raidel Acea, que venceu uma série de 400 metros em 46,74 segundos (recorde de Portugal), participou ainda o júnior Marcelo Pereira, que ficou em quinto lugar na série B dos 1.500 metros (1.54,72 minutos). Nas restantes provas, destaque para a melhor marca mundial do ano no salto com vara, pela russa autorizada a competir como atleta neutra, Anzhelika Sidorova (4,91 metros), para as segundas melhores marcas mundiais nos 3.000 metros femininos, pela etíope Alemuz Samuel (8.43,76 minutos), e no salto em comprimento masculino, pelo grego Mitiadis Tentoglou (8,23 metros), campeão europeu de pista coberta.

Eva Swoboda continua invencível esta época

Ainda em bom plano estiveram David Storl (Alemanha), com 21,01 metros no peso, Eva Swoboda (Polónia), com 7,11 segundos nos 60 metros (está invencível esta época), Jarred Eaton (Estados Unidos), com 7,56 segundos nos 60 metros barreiras, finalmente a derrotar o espanhol Orlando Ortega e o cipriota Milan Trajkovic (ambos com 7,57).

LEIA MAIS

Futebolista português do Benfica pisado na cara «quase ficava cego» [vídeo]

Dolores operada a um novo tumor: «Estou a lutar pela vida»

Previsão do tempo para domingo, 10 de fevereiro de 2019

Impala Instagram


RELACIONADOS