Nuno Manta Santos alivia pressão do Desportivo das Aves na visita ao Gil Vicente

O treinador Nuno Manta Santos admitiu hoje que o Desportivo das Aves vai defrontar “sem pressão” o Gil Vicente, em jogo da 28.ª jornada, encarando a permanência na I Liga de futebol como uma “epopeia muito grande”.

Nuno Manta Santos alivia pressão do Desportivo das Aves na visita ao Gil Vicente

Nuno Manta Santos alivia pressão do Desportivo das Aves na visita ao Gil Vicente

O treinador Nuno Manta Santos admitiu hoje que o Desportivo das Aves vai defrontar “sem pressão” o Gil Vicente, em jogo da 28.ª jornada, encarando a permanência na I Liga de futebol como uma “epopeia muito grande”.

“Neste momento sinto que até o Gil Vicente tem mais pressão para pontuar perante o Aves do que propriamente nós. Não querendo entrar nesse tipo de discurso ou ‘mind games’, o que nos preocupa essencialmente é apresentar um jogo positivo e uma equipa sólida nos vários momentos”, apontou o técnico, em conferência de imprensa.

Sem triunfarem há oito rondas seguidas, os avenses somaram o primeiro ponto após a retoma do campeonato na terça-feira, com um nulo caseiro frente ao líder FC Porto, que ofereceu “energia e alento” a uma “fase de crescimento” que “será colocada à prova” diante de um “oponente difícil e a precisar de pontos face aos resultados anteriores”.

“Trabalhar sobre resultados positivos é sempre bom e há que valorizar isso perante o adversário que foi. Falámos sobre os incidentes do jogo e aquilo que podíamos ter melhorado, mas já faz parte do passado e temos de pensar no próximo desafio. A responsabilidade certamente aumentou para o nosso lado”, alertou Nuno Manta.

O treinador desvaloriza o momento vivido pelo Gil Vicente, o único emblema com três derrotas averbadas em outros tantos jogos após a paragem causada pela pandemia de covid-19, preferindo dirigir atenções para um grupo “tranquilo e, acima de tudo, com caráter, compromisso e respeito” pelo Aves, que não faturou nas últimas quatro rondas.

“Estamos preocupados com o nosso jogo e não com os problemas do adversário e isso passa por marcar golos e não sofrer. Se analisarmos friamente, faltam 21 pontos e fazemos 35 se vencermos os sete jogos. Mas, olhando ao contexto e a todas as adversidades do plantel e da nossa estrutura, é uma epopeia muito grande”, admitiu.

Nuno Manta Santos terá de colmatar a ausência do ala franco-camaronês Kevin Yamga, que completou uma série de cinco cartões amarelos na receção ao FC Porto, mas já pode integrar nas opções o defesa Ricardo Mangas e o avançado chadiano Marius.

Os avenses têm atravessado uma série de contrariedades desportivas, diretivas e financeiras e voltaram a falhar em 09 de maio a obrigação de demonstrar a inexistência de dívidas salariais a jogadores e treinadores nos meses de março e abril junto da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, que remeteu o processo para o Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, tal como tinha sucedido em 03 de abril.

A SAD justificou o incumprimento entre dezembro de 2019 e fevereiro de 2020 com a paralisação da atividade económica na China, motivada pela pandemia de covid-19, mas assistiu às rescisões unilaterais do guarda-redes francês Quentin Beunardeau e do avançado brasileiro Welinton Júnior, numa reincidência que pode significar cinco a oito pontos de penalização na luta pela manutenção na I Liga.

O Desportivo das Aves, 18.º e último classificado, com 14 pontos, outros tantos abaixo da zona de salvação, desloca-se ao terreno do Gil Vicente, na 11.ª posição, com 30, no domingo, às 21:00, no Estádio Cidade de Barcelos, para o encontro inaugural da 28.ª jornada, que será arbitrado por André Narciso, da associação de Setúbal.

RYTF // NFO

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS