Niclas Grönholm volta a vencer em Montalegre e Christian Veiby aumenta vantagem

O finlandês Niclas Grönholm voltou hoje a vencer final da etapa portuguesa do Mundial de ralicrosse, em Montalegre, à frente de Ole Christian Veiby, que aumentou a vantagem face a Timmy Hansen, mantendo ‘viva’ a luta pelo título.

Niclas Grönholm volta a vencer em Montalegre e Christian Veiby aumenta vantagem

Niclas Grönholm volta a vencer em Montalegre e Christian Veiby aumenta vantagem

O finlandês Niclas Grönholm voltou hoje a vencer final da etapa portuguesa do Mundial de ralicrosse, em Montalegre, à frente de Ole Christian Veiby, que aumentou a vantagem face a Timmy Hansen, mantendo ‘viva’ a luta pelo título.

Contra todas as expectativas e estatísticas, Niclas Grönholm (PWR) foi o grande vencedor do World RX of Portugal em Montalegre, distrito de Vila Real, após o líder Johan Kristoffersson (Volkswagen) ter sido penalizado por uma ultrapassagem a Timmy Hansen (Peugeot 208) na corrida final da dupla jornada em solo português.

O líder sueco foi o mais rápido na primeira manga (H1), depois de ter conseguido o melhor tempo na volta individual cronometrada, ‘SuperPole’, exibição que lhe permitiu alinhar em primeiro lugar na grelha de partida em ambas as mangas.

O seu adversário mais direto e companheiro de equipa, Ole Christian Veiby (Volkswagen), segundo no Mundial, ficou em terceiro, tendo sido ultrapassado por Timmy Hansen (Peugeot 208), que, tal como o norueguês, disputa o pódio do mundial, agora a 25 pontos do compatriota sueco.

Na H2, Kristoffersson voltou a ser o mais rápido em prova, seguido dos compatriotas suecos Kevin Hansen (Peugeot 208) e Timmy Hansen (Peugeot 208), em segundo e terceiro lugar, respetivamente.

A ‘progression race’ trouxe surpresas ao ‘top-três’, com Kevin Hansen (Peugeot 208) a conquistar o melhor tempo da corrida, seguido do líder Kristoffersson, em segundo lugar, e de Klara Andersson (Volkswagen), em terceiro.

As semifinais revelaram-se penalizadoras para a ‘irmandade’ sueca. Kevin Hansen (Peugeot 208) não conseguiu concluir a primeira prova devido a um acidente logo na primeira das cinco voltas, situação que deixou o jovem sueco visivelmente desapontado.

Além de ter ficado em último lugar, o piloto não se qualificou para a final da jornada, tendo ‘abandonado’ a pista sob aplausos dos vários milhares de espetadores presentes nas bancadas do Circuito Internacional de Montalegre.

Por sua vez, o Grönholm foi o mais rápido em pista, seguido de Klara Andersson, em segundo, e Rene Münnich (Seat Ibiza), em terceiro.

Na segunda semifinal, Timmy Hansen (Peugeot 208) ficou em terceiro e último lugar, após ter feito um ‘peão’ na ‘joker lap’. Kristoffersson voltou a ser o mais rápido, seguido de Christian Veiby, segundo classificado.

A final arrancou com Timmy Hansen a defender a honra familiar e a comandar a ‘turma’ de cinco pilotos na corrida pelo pódio. Porém, acaba por ser ultrapassado pelo líder Johan Kristoffersson (Volkswagen), após um ‘toque’ intencional do líder do Mundial, que acabaria por ser penalizado pela atitude em pista, acabando a final da jornada dupla em quinto e último lugar.

Niclas Grönholm (PWR), que tinha terminado a final logo atrás do líder sueco, acabaria por se sagrar vencedor do World RX of Portugal, voltando, assim, a subir ao pódio ‘barrosão’ pelo segundo ano consecutivo.

No campeonato da Europa FIA, Montalegre testemunhou uma dupla consagração de campeões: Anton Marklund (Hyundai i20) no Europeu na categoria RX1 (‘supercars’) e Kobe Pauwels (Audi A1) em RX3.

O sueco ganhou vantagem logo na H3, a primeira do dia, ao conseguir o melhor tempo e superar os adversários mais diretos, com Enzo Ide (Audi S1) novamente em destaque e a conquistar o segundo melhor tempo, enquanto Janis Baumanis (Peugeot 208) ‘caiu’ para o fundo da tabela, ficando em penúltimo lugar.

Mário Barbosa (Citroën DS3) foi o melhor classificado do leque de pilotos portugueses, tendo conseguido o sexto melhor tempo da “série de apoio” do europeu.

Já na ‘progression race’, o belga Enzo Ide (Audi S1) foi o melhor em prova, seguido de Tamás Kárai (Audi S1) e do português José Oliveira (Peugeot 208). O líder Anton Marklund (Hyundai i20) não foi além do quinto lugar, seguido do seu perseguidor mais direto, Janis Baumanis (Peugeot 208), em sexto.

Na primeira semifinal da categoria, Enzo Ide (Audi S1) foi o primeiro a alinhar na partida e voltou a ser o mais rápido em pista por uma curta margem face ao tempo do líder sueco. Os portugueses Mário Barbosa (Citroën DS3) e José Oliveira (Peugeot 208) fecharam as contas, em quarto e quinto lugar, respetivamente.

Na segunda semifinal, Baumanis conseguiu o melhor tempo dos cinco carros em prova, mantendo viva a ‘discussão’ pelo pódio da categoria a pouco mais de uma hora da final da etapa portuguesa do europeu.

A corrida decisiva deu a vitória ao belga Enzo Ide (Audi 1), o mais rápido dos cinco pilotos que disputaram a final da categoria RX1. O líder sueco não foi além do quarto melhor tempo.

Porém, ainda que tenha arrecadado menos quatro pontos do que Baumanis na etapa portuguesa, Marklund tirou partido da larga vantagem no campeonato e conquistou o terceiro título de campeão europeu em Montalegre.

Na categoria RX3 (S1600), o campeão belga Kobe Pauwels (Audi A1) começou da melhor forma o segundo dia de competição, tendo sido o mais rápido na H3, seguido de Jan Cerny (Skoda Citigo) e do português João Ribeiro (Audi A1), que fechou o ‘top-três’.

A ‘progression race’ trouxe novos protagonistas aos lugares cimeiros da tabela, onde figuraram três portugueses. Pauwels voltou a ser o melhor em pista, seguido de Nuno Araújo (Audi A1), em segundo lugar, seguidos pelos irmãos Joaquim Machado (Peugeot 208) e Jorge Machado (Citroën C2), em terceiro e quarto lugar, respetivamente.

Na primeira semifinal da tarde, Pauwels foi o mais rápido em prova e João Ribeiro (Audi A1) liderou a segunda semifinal, para alegria dos milhares de portugueses, ‘amantes’ do automobilismo, presentes no Circuito Internacional de Montalegre.

Porém, foi mesmo o jovem belga o grande vencedor da jornada dupla, tendo sido coroado campeão da categoria RX3 (S1600), depois de ter terminado o desafio em solo português à frente dos seus principais rivais, com uma margem de 24 pontos face ao segundo classificado, o polaco Damian Litwinowicz (Audi A1).

Nuno Araújo conquistou o melhor tempo da ‘dupla’ portuguesa presente na final, com João Ribeiro a cruzar a meta em quinto e último lugar, ainda que se tenha despedido de Montalegre em terceiro na geral da categoria, a 27 pontos de Pauwels.

Após a ronda portuguesa, organizada pelo município de Montalegre e pelo Clube Automóvel de Vila Real, o Mundial de ralicrosse terá nova jornada dupla na Bélgica, a 08 e 09 de outubro, onde os pilotos irão disputar a antepenúltima ronda do campeonato.

 

MYMR // NFO

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS