Nasser Al-Attiyah vence quinta etapa nos carros e aumenta liderança no Dakar

O piloto Nasser Al-Attiyah (Toyota), do Qatar, venceu hoje a quinta das 14 etapas dos carros da 45.ª edição do rali Dakar de todo-o-terreno e aumentou a vantagem na classificação geral.

Nasser Al-Attiyah vence quinta etapa nos carros e aumenta liderança no Dakar

Nasser Al-Attiyah vence quinta etapa nos carros e aumenta liderança no Dakar

O piloto Nasser Al-Attiyah (Toyota), do Qatar, venceu hoje a quinta das 14 etapas dos carros da 45.ª edição do rali Dakar de todo-o-terreno e aumentou a vantagem na classificação geral.

O piloto da Toyota concluiu os 373 quilómetros da especial de hoje com 1.57 minutos de vantagem sobre o espanhol Carlos Sainz (Audi), que foi segundo, e 3.44 sobre o francês Stéphane Peterhansel (Audi), que foi terceiro classificado.

O português Paulo Fíuza, navegador do lituano Vaidotas Zala (Prodrive), terminou na 10.ª posição, a 20.32 minutos do vencedor.

Com estes resultados, Al-Attiyah tem agora 22.36 minutos de vantagem sobre Peterhansel, que ascendeu ao segundo lugar por troca com o saudita Yazeed Al-Rajhi (Toyota), que é terceiro, a 27.01 do piloto do Qatar. Fiúza é 116.º, depois dos problemas físicos do seu piloto nas etapas anteriores.

Entre os veículos ligeiros (SSV), Hélder Rodrigues (Can-Am) foi sétimo na classe T3, para protótipos, a 22.38 minutos do vencedor, o norte-americano Seth Quintero (BFG).

“Este Dakar não está a ser nada fácil. Na etapa de ontem [quarta-feira] ficámos sem gasolina e tivemos de esperar por um T5 [camião], que só chegou passadas três horas. Acabámos por vir diretos para o bivouac [acampamento]. Foi um dia duro para nós e hoje partimos muito atrás, da posição 150, o que fazia antever uma jornada difícil. No entanto, conseguimos imprimir um bom ritmo até que, a 30 quilómetros do reabastecimento, tivemos de gerir novamente o andamento porque estávamos com problemas de consumo. Foi um dia complicado porque tivemos de passar muitos concorrentes, mas tentámos dar o nosso melhor. A 40 quilómetros do fim partimos uma correia, mas tirando isso fizemos tudo bem”, explicou.

João Ré, que navega para o saudita Saleh Alsaif (Black Horse) foi nono, a 29.34, enquanto Ricardo Porém (Yamaha) voltou a ter problemas mecânicos e cedeu 3:05.16 horas, terminando em 29.º.

“Perto do quilómetro 168 dei um toque numa erva camelo e parti o braço de suspensão inferior. Tive de esperar pelo camião de assistência rápida e substituir a peça. Perdi mais de 2:30 horas e tive de fazer os últimos 100 quilómetros de dunas de noite. Confesso que estou dececionado com toda esta ‘mala suerte’ que nos tem acompanhado nesta corrida… mas não vamos baixar os braços”, prometeu o piloto de Leiria, antigo campeão nacional de todo-o-terreno.

João Ferreira (Yamaha) também teve problemas e ficou em 31.º, a 4:43.20 horas.

Na geral, João Ré é sexto, a 3:18.06 horas do líder, o belga Guillaume de Mevius (Grally), enquanto Ricardo Porém é 18.º, já a 8:44.13 horas. Hélder Rodrigues é 27.º e João Ferreira 29.º.

Nos T4, para veículos derivados de série, Fausto Mota, que corre com licença espanhola e navega o piloto brasileiro Cristiano Batista (Can-Am), foi segundo classificado na etapa, a apenas cinco segundos do vencedor, o brasileiro Rodrigo Oliveira (Can-Am). O português perdeu a vitória fruto de uma penalização de 50 segundos.

Pedro Bianchi Prata, copiloto do brasileiro Bruno Oliveira (Can-Am) foi 15.º, a 30.41, seguido de David Megre, navegador do espanhol Ricardo Suarez (Ramilo), em 16.º. Paulo Oliveira (Can-Am) foi 34.º.

Na geral, Fausto Mota é oitavo, a 1:35.28 horas do líder, Rodrigo Oliveira. Pedro Bianchi Prata é 10.º, a 1:39.31 horas. Paulo Oliveira é 28.º e David Megre 34.º.

Na sexta-feira disputa-se a sexta de 14 etapas da prova, que liga Hail e Al Duwadimi, com 467 quilómetros de especial cronometrada.

 

AGYR // NFO

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS