Mundial2022: “Portugal tem uma geração de ouro e vimos para ganhar” — Bernardo Silva

Portugal tem uma “geração de ouro” e um nome com “algum peso” no futebol mundial, pelo que é natural que assuma a ambição de conquistar o Campeonato do Mundo, afirmou hoje o internacional português Bernardo Silva.

Mundial2022:

Mundial2022: “Portugal tem uma geração de ouro e vimos para ganhar” — Bernardo Silva

Portugal tem uma “geração de ouro” e um nome com “algum peso” no futebol mundial, pelo que é natural que assuma a ambição de conquistar o Campeonato do Mundo, afirmou hoje o internacional português Bernardo Silva.

“Chegamos com muita ambição, muito confiantes, sabendo que vimos para uma competição especial, curta e imprevisível, em que estão grandes seleções”, começou por dizer o médio ofensivo do Manchester City, na primeira conferência de imprensa da equipa das ‘quinas’ no Qatar.

Perante uma sala repleta de jornalistas, no centro de treinos do Al-Shahaniya SC, nos arredores de Doha, Bernardo Silva não teve pejo em assumir que Portugal chega ao Médio Oriente com um objetivo claro.

“Temos algum peso [no futebol], porque é uma geração de ouro. Os portugueses esperam muito de nós e vamos dar o nosso melhor. Vimos para ganhar, sabendo que é difícil, mas vimos com muita ambição”, salientou o jogador, que soma 73 internacionalizações e oito golos por Portugal, e que também participou no Mundial2018, na Rússia.

Bernardo Silva assegurou que a vitória no particular com a Nigéria (4-0), na quinta-feira, “deu alguma confiança” à seleção nacional e que “é sempre melhor vir para um Mundial com uma vitória”.

“É importante voltar a ganhar rotinas para chegar a este Mundial da melhor forma. Todas as equipas vão estar a 100%, estamos muito confiantes. O Gana tem grandes individualidades, mas Portugal está confiante de que as coisas vão correr bem. Vamos jogar contra os três adversários, portanto é indiferente. É uma competição em que temos de somar”, antecipou.

O ‘criativo’ do City admitiu que a seleção nacional conta agora com uma “geração diferente, mas muito forte, com jogadores diferentes, que jogam nos melhores clubes e nas melhores ligas”, e que sabem corresponder com ou sem Cristiano Ronaldo em campo.

“Ele faz parte, mas também sabemos corresponder quando ele não está. Estamos prontos, somos 26, não importa se está um ou outro, vamos dar sempre o melhor pelo nosso país”, exprimiu.

Por outro lado, o internacional luso assegurou que se sente “muito melhor fisicamente” para enfrentar o Mundial2022, uma vez que a competição vai ser disputada, pela primeira vez, a meio da temporada europeia.

“Acho que é positivo, por ser completamente diferente, por ser a meio de uma época. Pessoalmente, sinto-me muito melhor fisicamente do que se fosse no final de uma temporada, em que já chego estafado, vindo de 60 jogos disputados”, disse.

Embora se tenha mostrado “sempre disponível para ajudar a equipa em que posição for”, Bernardo Silva disse que os seus treinadores “sabem perfeitamente” qual a posição em que se sente melhor a jogar e, depois da insistência dos jornalistas, acabou por reforçar qual a preferência.

“Sinto-me melhor a jogar no meio, mas disponível para jogar na posição em que o treinador achar melhor para a equipa. Tendo feito toda a formação no meio, é normal que a posição central seja mais natural para mim”, referiu.

Após a conferência de imprensa, a seleção portuguesa realiza o primeiro treino em solo qatari, prosseguindo a preparação para a estreia no Grupo H do Campeonato do Mundo, em 24 de novembro, diante do Gana, no Estádio 974, em Doha.

Seguir-se-ão os duelos com o Uruguai, em 28 de novembro, no Estádio de Lusail, e com a Coreia do Sul, de Paulo Bento, em 02 de dezembro, no Estádio Education City.

A 22.ª edição do Campeonato do Mundo arranca no domingo, com o duelo entre o anfitrião Qatar e o Equador, para o grupo A, e termina em 18 de dezembro.

MO/AJC // NFO

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS