Mourinho vence Manchester City em jogo com ‘ajuda’ do videoárbitro

Um golo do estreante Bergwijn abriu hoje caminho à vitória do Tottenham, de José Mourinho, diante do campeão Manchester City, por 2-0, em jogo da Liga inglesa de futebol em que o videoárbitro (VAR) foi protagonista.

Mourinho vence Manchester City em jogo com 'ajuda' do videoárbitro

Mourinho vence Manchester City em jogo com ‘ajuda’ do videoárbitro

Um golo do estreante Bergwijn abriu hoje caminho à vitória do Tottenham, de José Mourinho, diante do campeão Manchester City, por 2-0, em jogo da Liga inglesa de futebol em que o videoárbitro (VAR) foi protagonista.

Naquele que foi o 23.º duelo entre Mourinho e Pep Guardiola, antecedido de elogios do espanhol à carreira do português, o triunfo dos ‘spurs’ acabou, sobretudo, por ‘ajudar’ o líder Liverpool e fazer os londrinos subirem ao quinto lugar.

As ‘contas’ da derrota deixam o City a 22 longínquos pontos do líder Liverpool, o que pode deixar a equipa de Jürgen Klopp a comemorar o título, que lhe escapa há 30 anos, muito cedo, já em março, bastando-lhe seis triunfos.

Hoje, em casa do Tottenham, o City começou por estar, como era previsível, por cima do jogo, num primeiro tempo em que o VAR foi crucial em alguns momentos: reverteu uma decisão e deu penálti e entendeu que um outro não era, ambos para a equipa de Manchester.

Primeiro, Aguero reclamou grande penalidade, que Mike Dean não atendeu, mas o videoárbitro ‘corrigiu’ a decisão, e Gundogan, aos 40 minutos, da marca dos 11 metros, permitiu a defesa de Lloris, que, ao defender, parece ter derrubado Sterling.

Aqui, o árbitro apontou para nova grande penalidade, e o VAR retificou uma vez mais, referindo não ter existido falta, na disputa da bola que sobrou do penálti, entre Lloris e Sterling.

Foi um final de primeira parte tenso, com vários jogadores em discussão, e que provocou amarelos a Alderweireld e Zinchenko, este crucial para o resultado nos segundos 45 minutos, período em que o ucraniano veria o segundo amarelo.

O lateral não tentou jogar a bola, atingindo apenas o adversário, e a sua expulsão, aos 60 minutos, acabou por definir o jogo, em que o City tinha estado sempre mais perto do golo.

Pouco depois, aos 63, foi a estreia de sonho de Steven Bergwijn, que chegou esta semana ao Tottenham, proveniente do PSV, com o holandês a fazer o 1-0, num lance em que amorteceu no peito e rematou à meia-volta.

Guardiola ainda tentou equilibrar o setor defensivo, com a entrada de João Cancelo, e Mourinho manteve no banco Gedson Fernandes e fez entrar Ndombele e Lamela, com o primeiro a assistir quase de imediato Son para o segundo golo.

O sul-coreano recebeu à entrada da área e Ederson esticou-se, mas não evitou o segundo, aos 71 minutos.

No City, Bernardo Silva ainda foi opção aos 84, para o lugar de Sterling, num jogo que significou a sexta derrota de Guardiola frente a Mourinho, a segunda na Liga inglesa, com o espanhol a ter franca vantagem nos duelos (10 triunfos).

Mais cedo, o Arsenal continuou a sua ‘triste’ caminhada na ‘Premier League’, ao somar o quarto empate consecutivo, com os ‘gunners’ afundados num sofrível 10.º lugar, a 42 pontos da liderança e a seis do último lugar europeu, o quinto.

A equipa empatou sem golos na visita ao Burnley, que segue no 11.º lugar, com os mesmos 31 pontos.

RPM // AMG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS