Miguel Oliveira lamentou “desgaste do pneu dianteiro” no GP do Qatar

O português Miguel Oliveira (KTM) lamentou hoje o “desgaste do pneu dianteiro” da sua RC16 que o impediu de ir além do 13.º lugar no Grande Prémio do Qatar, prova de abertura do Mundial de MotoGP.

Miguel Oliveira lamentou

Miguel Oliveira lamentou “desgaste do pneu dianteiro” no GP do Qatar

O português Miguel Oliveira (KTM) lamentou hoje o “desgaste do pneu dianteiro” da sua RC16 que o impediu de ir além do 13.º lugar no Grande Prémio do Qatar, prova de abertura do Mundial de MotoGP.

O português Miguel Oliveira (KTM) lamentou hoje o “desgaste do pneu dianteiro” da sua RC16 que o impediu de ir além do 13.º lugar no Grande Prémio do Qatar, prova de abertura do Mundial de MotoGP.

Em declarações divulgadas pela sua assessoria de imprensa, o piloto de Almada destacou o facto de ter conseguido “terminar nos pontos”, mas “ainda assim com grande potencial” para ter terminado “mais à frente”.

Oliveira chegou a rodar na 10.ª posição, mas a sete voltas do final começou a perder posições, até se fixar no 13.º lugar.

“Como esperado ontem, as condições foram um pouco mais difíceis e, obviamente, que isso não jogou a favor de ninguém. Da nossa parte era difícil de termos conseguido gerir o desgaste do pneu dianteiro, na parte direita, e após 10 voltas já não me restava qualquer borracha desse lado”, relatou o piloto português.

Uma vez que a corrida foi disputada já de noite, com as temperaturas mais baixas, os pilotos foram todos obrigados a escolher pneus com mistura macia, que tem mais aderência, mas, também, um desgaste mais rápido.

“Quando conseguimos usar um pneu duro à frente somos competitivos, como se vê nos treinos livres 3 e 4. Mas quando somos obrigados a usar o pneu macio pela temperatura, simplesmente torna-se impossível de gerir qualquer desgaste. Torna-se uma corrida para tentar chegar ao final e não na base do desempenho”, disse o piloto da KTM.

Miguel Oliveira tem, agora, a segunda jornada do campeonato já no próximo domingo, no mesmo circuito de Losail, nos arredores de Doha.

“[Temos de estar de] cabeça levantada e na próxima semana estaremos aqui para fazer melhor e continuar a trabalhar”, concluiu.

Com o 13.º lugar de hoje, o piloto luso somou três pontos, estando a 22 do líder, o espanhol Maverick Viñales (Yamaha), que se impôs às Ducati do francês Johan Zarco e do italiano Francesco Bagnaia.

Portugal acolhe a terceira ronda da temporada, em 18 de abril, no Algarve.

 

 

Impala Instagram


RELACIONADOS