Miguel Oliveira “entusiasmado por voltar a correr” e sem pensar no contrato

O piloto português Miguel Oliveira (KTM) mostrou-se hoje “entusiasmado por voltar a correr” no regresso do Campeonato do Mundo de velocidade em motociclismo, cuja primeira corrida se disputa no domingo, em Losail, no Qatar.

Miguel Oliveira

Miguel Oliveira “entusiasmado por voltar a correr” e sem pensar no contrato

O piloto português Miguel Oliveira (KTM) mostrou-se hoje “entusiasmado por voltar a correr” no regresso do Campeonato do Mundo de velocidade em motociclismo, cuja primeira corrida se disputa no domingo, em Losail, no Qatar.

Numa conferência de imprensa virtual, a que a Lusa assistiu, o piloto português disse estar “entusiasmado por terminar os testes e começar a correr”.

“O Qatar é sempre um local especial para começar a temporada. Estou ansioso por voltar a correr”, frisou Oliveira, de 27 anos, que está prestes a começar a sua quarta temporada na categoria rainha, a MotoGP.

O piloto de Almada termina contrato no final desta temporada, mas garantiu estar focado apenas em dar o seu “melhor”.

“É o início da época. Temos o ano todo pela frente. Até agora, só três pilotos [dos 24 que compõe o pelotão] têm a situação contratual resolvida. Os restantes estamos a tentar fazer o melhor que podemos”, disse o piloto da equipa oficial da KTM, que em 2021 terminou o Mundial na 14.ª posição.

Uma das novidades para este ano é a antecipação dos horários das corridas no Qatar, que tradicionalmente acolhe a única prova noturna do campeonato.

“Já tínhamos pedido para antecipar um pouco o arranque, porque aqui pode ser frio quando corremos. Vamos experimentar pela primeira vez esta época”, disse Miguel Oliveira.

O piloto luso considera que, este ano, “a mota é bastante diferente” da do ano passado, com a qual conseguiu uma boa primeira metade de campeonato, em que somou uma vitória (Catalunha) e dois segundos lugares (Itália e Alemanha).

“É diferente o suficiente para enfrentarmos o fim de semana com outra base”, precisou.

Agora, com a ação prestes a começar em pista, Miguel Oliveira acredita que “vai ser complicado para toda a gente”.

“Não há muito a fazer de um teste para a corrida. Vai ser complicado para toda a gente, porque a pista não está nas mesmas condições. A qualificação joga-se na FP2 [segunda sessão de treinos livres], porque é quando teremos a pista mais rápida”, disse.

Os 10 pilotos mais rápidos das três primeiras sessões de treinos livres (das quatro programadas) garantem um lugar diretamente na segunda fase da qualificação, a Q2, enquanto que os restantes 14 tentam as duas restantes vagas numa primeira fase da qualificação (Q1).

“O trabalho que temos de fazer é em pista, com as afinações e pneus, adaptar a mota para sermos rápidos a uma volta”, notou.

Miguel Oliveira tem também este ano um novo diretor desportivo, pois a KTM substituiu o austríaco Mike Leitner pelo italiano Francesco Guidoti.

“Para mim, não é muito diferente. É um papel importante em termos de gestão da equipa e motivação dos pilotos. O Francesco é novo na estrutura. A confiança e a relação constrói-se com o tempo. Já conhecia o Mike há muito tempo. Mas é uma grande contratação para a equipa e será muito importante para nós”, concluiu o piloto português.

Losail acolhe, este domingo, a primeira das 21 corridas previstas.

O Autódromo Internacional do Algarve (AIA), em Portimão, recebe o pelotão pelo terceiro ano consecutivo no dia 24 de abril para a quinta jornada do Mundial.

 

AGYR // AMG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS