Médico condenado a um ano de prisão pela morte de Astori

Giorgio Galanti assinou o certificado que declarava que o jogador estava apto para jogar, apesar de os exames mostrarem arritmias. Para além da pena, terá ainda de indemnizar a família de Astori em mais de um milhão de euros.

Médico condenado a um ano de prisão pela morte de Astori

Médico condenado a um ano de prisão pela morte de Astori

Giorgio Galanti assinou o certificado que declarava que o jogador estava apto para jogar, apesar de os exames mostrarem arritmias. Para além da pena, terá ainda de indemnizar a família de Astori em mais de um milhão de euros.

Giorgio Galanti foi sentenciado a um ano de prisão, pena suspensa, após investigações relacionadas com a morte de Davide Astori. O defesa-central, então capitão da Fiorentina, morreu aos 31 anos enquanto dormia a 4 de março de 2018, na véspera do jogo com a Udinese. Astori foi encontrado morto pelo massagista e os relatos dão conta de que o corredor do hotel se encheu de colegas em choque, a chorar a morte do colega e amigo.

Em causa está o facto do antigo diretor do Centro de Medicina Desportiva do hospital Careggi, em Florença, ter passado um certificado de aptidão desportiva para Astori, no início da temporada 2017/18. Importa explicar que os testes de esforço davam conta da existência de arritmias cardíacas. Além da pena de prisão, Galatin terá ainda que pagar uma indeminização cujo valor total ascende aos 1.09 milhões. São 250 mil euros à viúva do futebolista, Francesca Fioretti, 240 mil à filha, Vittoria, e 600 mil para os pais e irmãos do jogador.

O advogado de Giorgio Galanti já anunciou que vai recorrer da sentença.

LEIA AINDA
Quintana, Feher
De Quintana a Fehér, recorde as mortes mais dramáticas no desporto
A morte de Alfredo Quintana, guarda-redes de andebol do FC Porto e da Seleção, vítima de paragem cardiorrespiratória adensa o rol de desportistas que perderam a vida enquanto faziam o que mais gostavam. (… continue a ler aqui)

Impala Instagram


RELACIONADOS