Mário Narciso inclui Portugal entre candidatos ao título mundial de futebol de praia

Mário Narciso incluiu Portugal no lote de “sete ou oito” seleções que podem vencer o Mundial de futebol de praia, que arranca na quinta-feira, no Paraguai, mas advertiu, em declarações à Lusa, que o objetivo “não é fácil”.

Mário Narciso inclui Portugal entre candidatos ao título mundial de futebol de praia

Mário Narciso inclui Portugal entre candidatos ao título mundial de futebol de praia

Mário Narciso incluiu Portugal no lote de “sete ou oito” seleções que podem vencer o Mundial de futebol de praia, que arranca na quinta-feira, no Paraguai, mas advertiu, em declarações à Lusa, que o objetivo “não é fácil”.

O selecionador português lembrou que qualquer uma das seleções favoritas pode perder com outra, “num dia menos bom”, e que nem o estatuto de campeão da Europa confere a Portugal maior favoritismo para conquistar o troféu que já venceu 2001 em 2015, este último já sob a égide da FIFA.

“Estão ali campeões de vários continentes e esses vencedores estão incluídos nos que eu penso que podem ganhar, mas, além disso, existem mais uns três ou quatro que também o podem fazer”, justificou Mário Narciso, na reta final da preparação para a prova que irá decorrer até 01 de dezembro.

Portugal apresenta-se na capital paraguaia com o atual melhor jogador do mundo, Jordan Santos, e com ambição de conquistar o troféu pela terceira vez e suceder ao Brasil, que domina o historial da prova com 14 títulos.

A equipa das ‘quinas’ disputa o Grupo D com Nigéria, Omã e seleção ‘canarinha’, conforme ditou um sorteio que, no entender de Mário Narciso, foi “mau por um lado e bom por outro”.

“Foi menos bom, à partida, porque [o Brasil] é uma [seleção] que se vai qualificar para a fase seguinte, mas, se olharmos por outro prisma, se nós passarmos, como espero que passemos, não os podemos apanhar mais até ao fim”, explicou o selecionador.

E, a concretizar-se esse cenário, de Portugal e Brasil voltarem a encontrar-se na final do Mundial, em 01 de dezembro, o treinador setubalense reconheceu que “qualquer uma delas poderia ser a vencedora”.

“Em qualquer desporto, na final, nunca se sabe quem será o vencedor. Se as equipas chegaram à final é porque têm valor mais do que suficiente para serem vencedoras”, concluiu o técnico que orienta a seleção portuguesa desde 2013 e soma dois títulos europeus (2015 e 2019) e um mundial (2015).

A 20.ª edição do campeonato do mundo de futebol de praia, 10.ª sob a alçada da FIFA, decorre entre quinta-feira e 01 de dezembro no Estádio Los Pynandi, em Assunção, capital do Paraguai.

Portugal inicia o Mundial frente à Nigéria, na sexta-feira, seguindo-se o Brasil, dois dias depois. A equipa das ‘quinas’ fecha a fase de grupos ao defrontar Omã, em 26 de novembro.

Os dois primeiros classificados de cada agrupamento apuram-se para os quartos de final.

O Brasil domina a modalidade com 14 títulos conquistados, seguido de Portugal e Rússia, com dois troféus cada, e da França, com um.

SYL // JP

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS