Macau acolhe torneio internacional de ténis de mesa

Macau vai acolher na última semana de novembro um torneio internacional de ténis de mesa, numa altura em que o território não tem qualquer caso da covid-19 e está a apostar em vários eventos para atrair turistas chineses.

Macau acolhe torneio internacional de ténis de mesa

Macau acolhe torneio internacional de ténis de mesa

Macau vai acolher na última semana de novembro um torneio internacional de ténis de mesa, numa altura em que o território não tem qualquer caso da covid-19 e está a apostar em vários eventos para atrair turistas chineses.

Criada este ano, a World Table Tennis, com a autorização da Federação Internacional de Ténis de Mesa (ITTF), vai trazer a Macau entre os dias 25 e 29 de novembro vários jogadores que ocupam as primeiras 16 posições do ranking mundial, explicou a organização em conferência de imprensa.

A esmagadora maioria dos jogadores é da China continental, havendo ainda competidores provenientes de Taiwan, Coreia do Sul, Singapura, Roménia e Egito.

À margem da conferência e imprensa, o presidente do Instituto do Desporto de Macau, Pun Weng Kun, explicou que estes jogadores se encontram a competir em provas na China continental e, por essa razão, apenas têm de fazer o teste de ácido nucleico para entrar em Macau, que continua com fortes restrições fronteiriças devido à pandemia.

Ainda durante a conferência de imprensa, Pun Weng Kun deu a entender que a realização deste evento só foi possível “após várias conversas e discussões, e após o estágio da seleção nacional de ténis de mesa em Macau, de março a junho”.

Os organizadores do “Torneio Internacional de Ténis de Mesa WTT Macau 2020” decidiram adotar “um método de pontuação inovador” que “irá tornar o ritmo de jogo muito mais rápido e emocionante”, frisaram.

Em algumas partidas vai ser utilizado o “The Lucky 8”, lê-se no comunicado. Um método de jogo em que se disputam 5 sets, sendo o vencedor aquele que ganha 3 sets. Cada partida tem oito pontos de pontuação máxima.

Macau tem apostado na realização de eventos para alavancar o turismo, em quebra devido à covid-19. No fim de semana antes da realização desta competição de ténis de mesa decorre no território o 67.º Grande Prémio de Macau.

Em paralelo, vão ser organizadas durante os últimos dois meses do ano várias atividades e vários outros eventos espalhados pela cidade de forma a cativar os visitantes chineses, de quem a economia de Macau muito depende.

Em setembro, chegaram ao território 449.085 visitantes, mais 97,7% que em relação a agosto. Apesar disso, se compararmos com setembro de 2019 o número de visitantes desceu 83,8%.

Macau, que registou 46 infetados, mas não tem nenhum caso ativo nem detetou qualquer surto local, foi dos primeiros territórios a sofrer o impacto da crise económica motivada pela pandemia da covid-19.

As restrições fronteiriças e as medidas preventivas quase paralisaram a economia, cujo motor é o jogo, com os casinos a registarem prejuízos sem precedentes.

Após a reabertura dos vistos individuais e de grupo da China continental para o território no dia 23 de setembro, suspensos desde o início da pandemia, o Governo esperava que a semana em torno das celebrações do Dia Nacional da China (a chamada “Semana Dourada”) pudesse ajudar as perdas na capital mundial do jogo, em crise devido às restrições fronteiriças e à ausência de turistas.

A autoridade tem vindo a público afirmar que o desconhecimento da não obrigatoriedade de quarentena de 14 dias por parte de muitos potenciais visitantes chineses tem sido um dos problemas para que o turismo no território tarde em arrancar.

MIM // SB

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS