Má escolha de pneu deixa Miguel Oliveira fora dos pontos no GP das Américas

O piloto português Miguel Oliveira (KTM) terminou hoje na 18.ª posição o Grande Prémio das Américas de MotoGP, quarta prova do Mundial de Velocidade, depois de uma escolha errada do pneu traseiro.

Má escolha de pneu deixa Miguel Oliveira fora dos pontos no GP das Américas

Má escolha de pneu deixa Miguel Oliveira fora dos pontos no GP das Américas

O piloto português Miguel Oliveira (KTM) terminou hoje na 18.ª posição o Grande Prémio das Américas de MotoGP, quarta prova do Mundial de Velocidade, depois de uma escolha errada do pneu traseiro.

Miguel Oliveira concluiu as 20 voltas ao traçado de Austin, no Texas, a 32,002 segundos do vencedor, o italiano Enea Bastianini (Ducati), que venceu pela segunda vez em quatro corridas, recuperando o comando do campeonato.

O espanhol Alex Rins (Suzuki) foi o segundo, a 2,058 segundos (conseguindo o pódio 500 da Suzuki naquela que foi a corrida número 500 do Mundial), enquanto o australiano Jack Miller (Ducati) foi o terceiro, a 2,312.

Miguel Oliveira até começou bem. Saindo do 20.º lugar da grelha, ganhou cinco posições no arranque.

Pior esteve o espanhol Marc Márquez (Honda) que, largando da nona posição, ficou parado na linha de partida devido a um problema eletrónico, caindo para último.

O espanhol viria a recuperar numa corrida épica, terminando na sexta posição, a 6,617 segundos do vencedor.

Quem arrancou bem foi Jack Miller, que saltou para o comando da corrida, onde se manteve até à 14.ª volta.

O piloto australiano, que termina contrato com a Ducati e ainda não foi abordado para renovar, foi seguido de perto por Bastianini, que desde a vitória na prova de abertura, no Qatar, não tinha voltado ao pódio.

A seis voltas do final, a “Besta” saltou mesmo para o comando, cavando uma vantagem de dois segundos que lhe permitiu recuperar a liderança do campeonato, com 61 pontos.

Já Miguel Oliveira, depois de se ter estabelecido no 15.º posto durante grande parte da prova, viu acentuarem-se os problemas de tração na sua KTM e já não conseguiu defender-se dos ataques dos italianos Andrea Dovizioso (Yamaha), Franco Morbidelli (Yamaha) e Luca Marin (Yamaha), cortando a meta na 18.ª posição.

“Tal como esperado, foi uma corrida dura. Tivemos um bom ritmo com o pneu médio na quarta sessão de treinos livres e acreditámos que seria uma boa escolha para a corrida, mas foi completamente o oposto. Após cinco voltas começou a rodar na jante e só piorou com o desenrolar da corrida. No final já não consegui evitar ser ultrapassado e somar algum ponto”, explicou o piloto de Almada.

Ainda assim, Miguel Oliveira não perdeu o ânimo, garantindo ter aprendido “com este fim de semana” pelo que, na equipa, irão tentar “fazer os ajustes” que sentem ser possíveis de fazer.

Agora segue-se o Grande Prémio de Portugal, dentro de duas semanas, no Autódromo Internacional do Algarve.

 “Vamos para uma pista onde sabemos que somos competitivos. Já fomos no passado. Vamos lá com zero de negatividade depois do que aconteceu este fim de semana e com motivação total”, garantiu o piloto luso.

Com os resultados deste fim de semana, Miguel Oliveira baixou duas posições no campeonato, sendo, agora, o nono classificado, com 28 pontos.

 

AGYR // AJO

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS