LPFP diz que apreciação do recurso do Vitória está “dentro dos prazos”

A Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) assegurou hoje estar “dentro dos prazos regulamentares para apreciar e enviar” o recurso de Vitória de Setúbal, que foi impedido de se inscrever nas competições profissionais.

LPFP diz que apreciação do recurso do Vitória está

LPFP diz que apreciação do recurso do Vitória está “dentro dos prazos”

A Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) assegurou hoje estar “dentro dos prazos regulamentares para apreciar e enviar” o recurso de Vitória de Setúbal, que foi impedido de se inscrever nas competições profissionais.

Em comunicado, a LPFP detalhou a cronologia do processo, referindo que “o recurso do Vitória Futebol Clube deu entrada na sede da Liga na passada segunda-feira” e que na terça-feira o organismo que regula o futebol profissional “citou os terceiros interessados, Portimonense, Cova da Piedade e Casa Pia, aos quais conferiu três dias úteis para se pronunciarem quanto aos argumentos apresentados” pelo clube sadino.

Após receber as “oposições dos interessados”, a LPFP tem três úteis para “sustentar a sua decisão” e remeter o processo para o presidente do Conselho de Justiça, conforme está expresso no artigo n.º 4 do Regulamento das Competições.

“Assim, dúvidas não restam de que a LPFP está dentro dos prazos regulamentares para apreciar e enviar o recurso do Vitória Futebol Clube”, concluiu o organismo.

O Vitória de Setúbal foi impedido de se inscrever nas competições profissionais, depois de a Comissão de Auditoria da Liga ter reprovado os processos de licenciamento, alegando que o clube não cumpre os requisitos necessários.

O clube setubalense contestou esta decisão, considerando que “os prazos concedidos foram insuficientes” e acusou a LPFP de violar o “princípio de igualdade, do procedimento justo e equitativo e o da imparcialidade da administração”.

Os sadinos adiantaram ainda que apresentaram um documento atestando a ausência de dívidas a outras sociedades desportivas e que, a nível contributivo, existe um acordo de pagamento com a Autoridade Tributária.

O Vitória de Setúbal tinha assegurado a permanência, ao ser 16.º classificado da I Liga, mas neste momento está fora das provas profissionais, tendo recorrido para o Conselho de Justiça (CJ) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

Por seu lado, o Desportivo das Aves, que foi 18.º e deveria ser relegado para a II Liga, também foi despromovido ao Campeonato de Portugal, sendo que nem sequer recorreu da decisão.

A Liga convidou o Portimonense, que tinha sido 17.º posicionado e despromovido, a manter-se na I Liga e o Cova da Piedade e o Casa Pia a manterem-se na II Liga, depois de terem sido despromovidos administrativamente, com o cancelamento do segundo escalão, devido à pandemia de covid-19.

MO/AJO (LG) // PFO

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS