Klopp ‘culpa’ treinadores da formação pelo sucesso dos futebolistas portugueses

O treinador do Liverpool, o alemão Jürgen Klopp, responsabilizou hoje os treinadores das camadas jovens pelo sucesso dos futebolistas portugueses, numa intervenção gravada no fórum Football Talks.

Klopp 'culpa' treinadores da formação pelo sucesso dos futebolistas portugueses

Klopp ‘culpa’ treinadores da formação pelo sucesso dos futebolistas portugueses

O treinador do Liverpool, o alemão Jürgen Klopp, responsabilizou hoje os treinadores das camadas jovens pelo sucesso dos futebolistas portugueses, numa intervenção gravada no fórum Football Talks.

Questionado sobre o que aprecia nos futebolistas portugueses, o técnico, que comanda os avançados lusos Diogo Jota e Fábio Carvalho nos ‘reds’, elogiou a competitividade, mas destacou o papel dos treinadores.

“Aprecio a educação de topo em termos de futebol. Regra geral, são incrivelmente bem treinados na formação e, porventura, também na transição para o futebol sénior. Quando pensamos em jogadores de topo, o Cristiano [Ronaldo] e também o Bernardo [Silva] fazem de Portugal um país impressionante no futebol”, referiu.

O campeão europeu em 2018/19 apresentou-se como possível exemplo de um jogador subaproveitado.

“Eu fui um jogador mediano, mas podia ter sido melhor. O meu treinador era o carteiro — com todo o respeito por ele –, mas só nos mandava correr. Se calhar, se tivesse tido outro tipo de acompanhamento, teria mais sido diferente”, disse.

Também o contexto social foi indicado por Klopp como fulcral nesta diferença.

“Uma vez vim a Portugal e, por curiosidade, fui ver o sítio onde o Figo cresceu. E, entre os prédios, num bairro humilde, estava lá um campo, um campo de futebol de cinco, com luzes, para as crianças poderem jogar à noite. Na Alemanha, os vizinhos nunca permitiriam que isso acontecesse sem protestarem, por causa do barulho”, detalhou.

Na sua breve intervenção no fórum organizado pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF), na segunda-feira e hoje, Klopp assumiu-se favorável ao recurso à tecnologia no jogo, sem que isso mude o seu caráter humano, e a uma maior penalização das perdas de tempo em campo, tendo em vista o aumento do tempo útil de jogo.

“O jogo evoluiu muito e está na direção certa, já o alarido em torno dele não tenho tanta certeza”, rematou.

O Football Talks termina hoje, naquele que é o segundo dia de um fórum assente em temas relacionados com os cinco pilares estratégicos identificados no Plano Futebol 2030 da FPF: Infância e Crescimento, Futebol para Todos e Todas, Qualidade do Jogo, Envolvimento e Sustentabilidade do Ecossistema.

JP // AMG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS