Judoca Catarina Costa termina Grand Slam de Telavive no quinto lugar

Catarina Costa foi hoje a judoca portuguesa mais bem classificada no primeiro dia do Grand Slam de Telavive, ao terminar no quinto lugar, depois de perder no combate para a medalha de bronze.

Judoca Catarina Costa termina Grand Slam de Telavive no quinto lugar

Judoca Catarina Costa termina Grand Slam de Telavive no quinto lugar

Catarina Costa foi hoje a judoca portuguesa mais bem classificada no primeiro dia do Grand Slam de Telavive, ao terminar no quinto lugar, depois de perder no combate para a medalha de bronze.

A judoca de Coimbra, oitava do ‘ranking’ mundial dos -48 kg, foi a única dos seis portugueses em ação a conseguir chegar à discussão das medalhas, mas, no combate decisivo, frente à espanhola Júlia Figueroa (sétima), acabou derrotada.

Catarina Costa, que tinha vencido a italiana Assunta Scutto e a russa Sabiana Giliazova (ambas por ippon), e perdido nas meias-finais com a ucraniana Daria Bilodid, número dois mundial, foi imobilizada por Figueroa a dois minutos do final.

No primeiro dia em Telavive, também Wilsa Gomes (-57 kg), do Sporting, fez quatro combates, com duas vitórias e duas derrotas, mas terminou em sétimo numa categoria mais concorrida, que ao terceiro combate a relegou para a repescagem.

A judoca, 64.ª do mundo, superiorizou-se à italiana Silvia Pellitteri (263.ª) e à ucraniana Mariia Skora (39.º), mas foi derrotada diante das virtualmente qualificadas para os Jogos Olímpicos Sarah Cysique (quinta) e Julia Kowalczyk (13.ª).

Em outros duelos, Maria Siderot (-48 kg), que regressou após longa paragem por lesão, Joana Diogo (-52 kg) e João Crisóstomo (-66 kg) perderam ao segundo combate, enquanto Rodrigo Lopes (-60 kg) acabou por ter o desempenho menos conseguido, ao perder logo na estreia e quando ainda tenta reentrar na qualificação para os Jogos Olímpicos de Tóquio.

“Apresentamos uma seleção composta por atletas que procuram o apuramento olímpico, com a consolidação no ‘top 8’, que dará cabeça de série, e outros, mais jovens, que procuram reforçar a sua posição no ranking de qualificação, como é o caso de Rodrigo Lopes, que está muito perto da qualificação, dentro da cota direta ou cota continental, já que ainda não temos nenhum atleta a ocupar a cota continental onde há ainda muitos pontos em jogo”, explicou a selecionadora Ana Hormigo à partida.

O judoca do Benfica, 37.º no apuramento olímpico, perdeu diante de Kubanychbek Aibek Uulu, do Quirguistão, judoca 48.º do mundo, num combate muito longo, que se arrastou até 8.46 minutos, depois de ambos pontuarem com waza-ari e até Rodrigo Lopes perder por acumulação de castigos.

Na sexta-feira, a seleção contará em Telavive com João Fernando (-73 kg) e no sábado será a vez de Rochele Nunes (+78 kg).

Dos oito judocas neste Grand Slam, apenas Catarina Costa e Rochele Nunes ocupam lugares elegíveis para Tóquio, numa comitiva sem Joana Ramos (-52 kg), Telma Monteiro (-57 kg), Bárbara Timo (-70 kg), Patrícia Sampaio (-78 kg), Anri Egutidze (-81 kg) ou Jorge Fonseca (-100), também em lugares de apuramento.

RPM // VR

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS