Jorge Fonseca frustrado com sétimo lugar e arbitragem nos europeus de judo

O judoca português Jorge Fonseca mostrou-se hoje frustrado com o sétimo lugar nos Europeus de Lisboa e com a arbitragem no combate da repescagem, considerando que o ‘waza-ari’ com que foi derrotado não devia ter sido validado.

Jorge Fonseca frustrado com sétimo lugar e arbitragem nos europeus de judo

Jorge Fonseca frustrado com sétimo lugar e arbitragem nos europeus de judo

O judoca português Jorge Fonseca mostrou-se hoje frustrado com o sétimo lugar nos Europeus de Lisboa e com a arbitragem no combate da repescagem, considerando que o ‘waza-ari’ com que foi derrotado não devia ter sido validado.

O campeão mundial da categoria de -100kg perdeu contra o francês Alexandre Iddir, por ‘waza-ari’, já no ‘ponto de ouro’, numa ação visionada pelo videoárbitro (VAR) e posteriormente validada, tendo-se notado a desilusão de Jorge Fonseca com a decisão arbitral ainda no ‘tatami’ [tapete].

“Não sei o que se passou, mas aquilo para mim não é pontuação. Foi bem claro que eu não caí. Infelizmente, o árbitro quis decidir o combate assim, pela sua livre vontade. Saio daqui com a maior frustração porque trabalhei bastante para esta competição”, expressou.

Quarto classificado no ‘ranking’ mundial, Jorge Fonseca frisou ter trabalhado “bastante” para a competição, na qual venceu os dois primeiros combates, diante do grego Georgios Malliaropoulos e do estónio Grigori Minaskin, ambos por ‘ippon’, mas perdeu no acesso às meias-finais com o russo Niiaz Iliasov, quando foi relegado para a repescagem.

“O objetivo era ganhar e eu tenho tudo para ganhar esta competição. Tenho um grande sonho e sinto que pequenos erros custam muito caro. Sou campeão do mundo e vou continuar a sê-lo. Infelizmente, o árbitro ‘lixou-me’ o dia, que não correu da melhor forma possível, mas errei como todos os seres humanos”, disse.

Depois de “descansar e refletir um pouco sobre o que aconteceu nesta competição”, o atleta do Sporting vai “levantar a cabeça” e preparar os próximos grandes objetivos, que passam pela defesa do título mundial em junho, em Budapeste, capital da Hungria, e os Jogos Olímpicos de Tóquio2020.

“Só vivo de glória, não vivo de quintos e sétimos lugares. Para mim, não me faz efeitos secundários nenhuns. Isso não é a minha pessoa, não é para isso que eu treino. Hoje, não consegui viver a glória, estou desiludido comigo mesmo, mas agora vou trabalhar para os próximos grandes objetivos”, apontou.

Os Europeus de judo encontram-se no último dia de competição, a decorrer na Altice Arena, em Lisboa, onde, nos primeiros dois dias, Portugal conquistou uma medalha de ouro, por Telma Monteiro (-57 kg), e duas de bronze, por João Crisóstomo (-66 kg) e Bárbara Timo (-70 kg).

 

DYRP // AJO

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS