Futsal/Euro: Bruno Coelho apela para Portugal manter “pés bem assentes na terra”

O ala Bruno Coelho apela a que a seleção portuguesa de futsal mantenha “os pés bem assentes na terra” no campeonato da Europa de 2022, no qual terá de estar na máxima capacidade para repetir os êxitos anteriores.

Futsal/Euro: Bruno Coelho apela para Portugal manter

Futsal/Euro: Bruno Coelho apela para Portugal manter “pés bem assentes na terra”

O ala Bruno Coelho apela a que a seleção portuguesa de futsal mantenha “os pés bem assentes na terra” no campeonato da Europa de 2022, no qual terá de estar na máxima capacidade para repetir os êxitos anteriores.

“Queremos ter os pés bem assentes na terra. Ganhámos o Mundial, mas, mesmo se não tivéssemos ganhado, sabemos da nossa responsabilidade, do que queremos e dos nossos objetivos. É por esse caminho que vamos percorrer e trabalhar”, realçou, em entrevista à agência Lusa, nas vésperas do seu quinto torneio continental de seleções.

Bruno Coelho, de 34 anos, conta com 136 internacionalizações e 44 golos pela equipa das ‘quinas’, sendo um dos jogadores mais experientes da formação comandada por Jorge Braz, a qual considera um dos ‘alvos a abater’ pelas restantes seleções em prova.

“[Sermos campeões mundiais] É uma motivação não só para nós, mas para as outras seleções que jogam contra Portugal nos quererem ganhar. Se, há uns anos, queríamos ganhar à Espanha porque era a melhor do mundo e da Europa, hoje passamos nós pelo mesmo, de ter de defender o nosso título. Se não estivermos no máximo das nossas capacidades, torna-se mais difícil”, disse o jogador, que atua nos italianos do FF Napoli.

Imediatamente antes do início da concentração, Bruno Coelho, a par com o pivô Zicky, recebeu um resultado positivo ao coronavírus SARS-CoV-2, que obrigou a integrar mais tarde os trabalhos e a realizar “exercícios individuais em casa”, com o apoio do ‘staff’.

“Sou um jogador de emoções fortes e vieram-me logo as lágrimas aos olhos. Apesar de ter 134 [136 com os dois particulares com a Macedónia do Norte] internacionalizações, é como se fosse sempre a primeira vez. Ficar de fora do Europeu, por causa do motivo que era, deixou-me muito triste e abalado. Veio-me esse ‘fantasma’ à cabeça”, contou.

No entanto, recuperou a tempo “para ajudar” a seleção a tentar a revalidação do cetro continental, num torneio que integra o Grupo A, ao lado da Sérvia, os anfitriões Países Baixos e a Ucrânia, formações com quem Portugal está “um pouco habituado a jogar”.

“São seleções fortes fisicamente. Para contrariar isso, não podemos dar hipótese a essas seleções de entrar num jogo mais físico. Temos de entrar num jogo mais móvel, mais ao estilo de Portugal. Só assim vamos conseguir vencer”, frisou, dando a receita.

Durante a preparação, Portugal efetuou, em dezembro, um duplo confronto de caráter particular com a congénere da Espanha, sendo que, ao segundo jogo, aconteceu uma pesada derrota por 6-0, que pode ter sido benéfica para colocar o grupo “em sentido”.

“Se calhar, foi boa a derrota. Não pelos números que foram, que são exagerados, mas acaba por nos pôr em sentido e nos focarmos ainda mais no que realmente queremos. Aquela não é a imagem de Portugal e queremos passar o que realmente somos. Temos uma próxima oportunidade de conseguir mais e melhor”, concluiu o campeão mundial.

O Europeu2022 de futsal disputa-se entre quarta-feira e 06 de fevereiro, nas cidades neerlandesas de Amesterdão e Groningen, sendo que os dois primeiros classificados se qualificam para a fase a eliminar, a disputar em exclusivo na capital dos Países Baixos.

Os campeões europeus e mundiais estreiam-se logo no primeiro dia do torneio, frente à Sérvia, às 16:30 (horas em Lisboa), seguindo-se duelos com os Países Baixos, à mesma hora, no domingo, e com a Ucrânia, às 19:30 de dia 28, na última jornada do Grupo A.

 

DYRP // JP

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS