Félix da Costa foi terceiro no Bahrain e sonha com título mundial de resistência

O português António Félix da Costa (Jota) terminou hoje na terceira posição da classe LMP2 a penúltima prova do Mundial de Resistência, no circuito de Sakhir, no Bahrain, e mantém a esperança de chegar ao título.

Félix da Costa foi terceiro no Bahrain e sonha com título mundial de resistência

Félix da Costa foi terceiro no Bahrain e sonha com título mundial de resistência

O português António Félix da Costa (Jota) terminou hoje na terceira posição da classe LMP2 a penúltima prova do Mundial de Resistência, no circuito de Sakhir, no Bahrain, e mantém a esperança de chegar ao título.

Félix da Costa, que faz equipa com o mexicano Roberto González e com o britânico Anthony Davidson, terminou a cinco voltas dos vencedores, o britânico Mike Conway, o japonês Kamui Kobayashi e o argentino José Maria Lopez (Toyota), na sexta posição da geral.

Para terminar no pódio da categoria, Félix da Costa ultrapassou o outro português em prova, Filipe Albuquerque (Jota), a cerca de 20 minutos do final das seis horas da corrida.

“Fizemos uma corrida sem erros e fomos premiados com este pódio, totalmente merecido e que nos mantém na luta do título, a decidir no próximo fim de semana. Na corrida de hoje, tanto o Roberto como o Anthony estiveram muito bem e a mim foi-me pedido que efetuasse o turno final, onde dei tudo o que tinha. Quando cheguei perto do Filipe, sabia que não seria fácil ultrapassá-lo, mas acabou por correr bem a manobra na curva 1 e com isso chegámos ao pódio”, explicou o piloto de Cascais.

A vitória na classe LMP2 sorriu ao WRT de Robin Frijns, Ferdinand Habsburg e Charles Milesi, que bateram o Jota de Sean Galael, Tom Blomqvist e Stoffel Vandoorne.

Já Filipe Albuquerque, sentiu dificuldades mecânicas com o seu carro.

“Foi uma corrida estranha com altos e baixos. No início, com as altas temperaturas, o andamento estava bastante bom a chegar perto do primeiro lugar. Mas, depois, algo se passou, não mudámos nada nas configurações do carro, mas começámos a perder andamento para todos os outros. À medida que a pista ia ficando mais fria, as nossas dificuldades aumentaram. Foi estranho”, comentou o português, que pretende “melhorar este quarto lugar” na derradeira prova da temporada.

Este resultado deixa António Félix da Costa a 17 pontos dos líderes, que hoje venceram, quando ainda estão 39 em disputa nas 8 Horas do Bahrain, que se realizam no próximo fim de semana.

“Sabemos que a nossa tarefa não será fácil, mas estamos focados em ganhar a corrida e lutar para conquistar o título Mundial na LMP2. Esse é o objetivo que temos em mente”, concluiu Félix da Costa.

 

AGYR // PFO

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS