Desportivo de Chaves vai à Luz para cumprir o ditado “não há duas sem três”

O treinador do Desportivo de Chaves disse hoje que a equipa está preparada para a visita ao líder Benfica e que quer cumprir o ditado “não há duas sem três” com uma vitória na 11.ª jornada da I Liga.

Desportivo de Chaves vai à Luz para cumprir o ditado

Desportivo de Chaves vai à Luz para cumprir o ditado “não há duas sem três”

O treinador do Desportivo de Chaves disse hoje que a equipa está preparada para a visita ao líder Benfica e que quer cumprir o ditado “não há duas sem três” com uma vitória na 11.ª jornada da I Liga.

“Gostava que se concretizasse e que, na realidade, não houvesse duas sem três. Sabemos que vamos defrontar um adversário valoroso, até porque o tem demonstrado já desde o início da época. Sabemos que vamos ter e encontrar grandes dificuldades, mas também sabemos que estamos preparados, sabemos aquilo que temos feito e, por isso, temos de estar confiantes para o jogo que vamos fazer”, vincou Vítor Campelos, na conferência de imprensa de antevisão à visita ao Benfica, no sábado, às 18:00.

Após duas vitórias seguidas e três jogos sem perder, o Desportivo de Chaves ocupa o 10.º lugar da tabela classificativa, em igualdade com o Estoril Praia e com o Portimonense, todos com 15 pontos, e a 13 do Benfica, que ainda não perdeu qualquer um dos 20 encontro oficiais realizados esta temporada e assegurou, esta semana, a passagem aos oitavos de final da Liga dos Campeões.

Face a este momento do líder do campeonato, Vítor Campelos confessou que gostava que fosse o Desportivo de Chaves “a infligir a primeira derrota ao adversário”, ainda que reconheça que o Benfica é “a equipa mais forte” no campeonato e que esta seja, por isso, a deslocação mais difícil da época.

“É daqueles jogos em que o treinador precisa de motivar os jogadores, fazê-los acreditar nas suas qualidades e capacidades e é isso que temos feito durante a semana. É mais um jogo que vale três pontos. Sabemos da valia do adversário, mas também sabemos das nossas capacidades e daquilo que queremos, podemos e vamos fazer”, frisou.

Ainda que não possa contar com os lesionados Sidy Sarr, Bruno Langa e Obiora, a par de Sandro Cruz, impedido de jogar por estar cedido pelo Benfica, o treinador vimaranense disse estar confiante no plantel disponível, vendo a diferença do orçamento entre os ‘conjuntos’ como “uma questão de motivação”.

“Sabemos da decalagem que há entre a equipa com o ‘budget’ [orçamento] mais alto e a que tem o ‘budget’ mais baixo, mas quando o árbitro apitar são 11 jogadores dentro do campo e os nossos têm de acreditar muito nas suas capacidades, acreditar nos colegas e no trabalho que está a ser feito para, dentro do campo, com a sua entrega, determinação e concentração tentar, como é óbvio, minorar essa grande decalagem que há entre orçamentos”, referiu.

Vítor Campelos frisou, ainda, que a equipa tem de estar satisfeita pelo que já conquistou nos primeiros tempos de regresso à I Liga, sem deixar de ter “os pés bem assentes na terra”.

“Isto é uma maratona e cada semana tem uma prova de 100 metros. Estamos muito contentes por, à 10.ª jornada, termos 15 pontos, mas sabemos que ainda faltam muitos para atingirmos o nosso primeiro objetivo que é consolidar o Chaves nesta I Liga. Estamos felizes e tem de nos trazer confiança e dar-nos ainda mais alento para o resto do campeonato”, concluiu.

O Desportivo de Chaves visita o Benfica no sábado, às 18:00, no Estádio da Luz, em Lisboa, em encontro da 11.ª jornada da I Liga de futebol, arbitrado por Luís Godinho, da Associação de Futebol de Évora.

Nas anteriores 16 visitas dos transmontanos ao terreno das ‘águias’ para o campeonato, o melhor que conseguiram foram dois empates, em 1986/87 (0-0) e 1987/88 (1-1).

 

MYMR/DMC // MO

Lusa/Fim

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS