Covid-19: Número um mundial ausente do torneio de ténis de Roland Garros

A tenista australiana Ashleigh Barty, número um do ‘ranking’ mundial, anunciou hoje que não vai participar no torneio de Roland Garros, que decorrerá entre 27 de setembro e 11 de outubro, devido à pandemia de covid-19.

Covid-19: Número um mundial ausente do torneio de ténis de Roland Garros

Covid-19: Número um mundial ausente do torneio de ténis de Roland Garros

A tenista australiana Ashleigh Barty, número um do ‘ranking’ mundial, anunciou hoje que não vai participar no torneio de Roland Garros, que decorrerá entre 27 de setembro e 11 de outubro, devido à pandemia de covid-19.

“O Open de França do ano passado foi o torneio mais especial da minha carreira e não é uma decisão tomada de ânimo leve”, refere a tenista de 24 anos, que venceu em Roland Garros em 2019, nas redes sociais.

Ashleigh Barty, que já recusou participar no US Open, que está a decorrer, justificou a sua ausência com a pandemia e com a falta de preparação.

“Existem duas razões para a minha decisão. A primeira são os riscos para a saúde que ainda existem devido à covid-19 e a segunda é preparação, que não foi a ideal, uma vez que o meu treinador não conseguiu trabalhar comigo devido ao encerramento das fronteiras na Austrália”, frisou.

Barty desejou ainda sucesso ao torneio, referindo que espera “o melhor” para os jogadores e para a federação francesa.

O torneio de ténis de Roland Garros, que decorrerá este ano entre 27 de setembro e 11 de outubro, vai ser a primeira competição a ter público, após a paragem devido à pandemia de covid-19.

“Desde que o circuito internacional foi retomado, Roland Garros será o primeiro torneio com o privilégio de receber público”, disse Bernard Giudicelli, presidente da Federação Francesa de Ténis (FFT).

Tendo em conta as regras impostas pelo governo francês, que limitam a concentração de pessoas a 5.000 na região de Paris, a FFT reduziu as suas pretensões de receber 50% a 60% da capacidade dos recintos, o equivalente a 20.000 espetadores.

Assim, o complexo de Roland Garros será divido em três zonas, com base nos ‘courts’ principais, com os espaços Philippe Chatrier e Suzannne Lenglen a receberem 5.000 pessoas cada, e o ‘court’ Mathieu 1.500, por dia.

O diretor do torneio, Guy Forget, explicou que os jogadores serão testados quando chegarem à capital francesa e farão um segundo teste 72 horas depois, sendo todos obrigados a ficarem alojados em dois hotéis determinados pela organização.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 889.498 mortos e infetou mais de 27,1 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em França já morreram 30.726, com quase 329 mil casos registados.

AJO // AJO

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS