Constantino reeleito na presidência do COP com 153 votos em 182 possíveis

José Manuel Constantino foi hoje reeleito para um terceiro mandato na presidência do Comité Olímpico de Portugal (COP) com 100% dos votos expressos, somando 153 em 182 possíveis.

Constantino reeleito na presidência do COP com 153 votos em 182 possíveis

Constantino reeleito na presidência do COP com 153 votos em 182 possíveis

José Manuel Constantino foi hoje reeleito para um terceiro mandato na presidência do Comité Olímpico de Portugal (COP) com 100% dos votos expressos, somando 153 em 182 possíveis.

Dos 34 membros ordinários — 33 federações olímpicas, com quatro votos, e a Comissão de Atletas Olímpicos, com um — votaram 30 na sede do Comité Olímpico de Portugal.

Num sufrágio ao qual se apresentou sem concorrência, o dirigente de 71 anos contou ainda com 32 votos dos 49 membros extraordinários, com direito a um voto.

Constantino foi reeleito com 84% dos votos do universo olímpicos — todos a favor — sendo que 63 dos 83 membros com capacidade de voto compareceram ao ato eleitoral.

O principal desafio de Constantino é o de superar, em Paris2024, o melhor desempenho olímpico luso de sempre, em Tóquio2020, com uma medalha de ouro, do saltador Pedro Pablo Pichardo, uma de prata, da saltadora Patrícia Mamona, e duas de bronze, do canoísta Fernando Pimenta e do judoca Jorge Fonseca.

José Manuel Constantino vai ter como vice-presidentes Artur Lopes e Vicente Araújo, numa comissão executiva reforçada com João Paulo Villas-Boas, Sameiro Araújo e Ulisses Pereira, em detrimento de Rosa Mota, António Aleixo e Hermínio Loureiro, este último com mandato suspenso.

Respeitando os 30% de elementos femininos definidos pelo Comité Olímpico Internacional (COI), o recandidato contou ainda com três antigos atletas olímpicos como vogais, casos de João Rodrigues (vela), Beatriz Gomes (canoagem) e Teresa Gaspar (judo), enquanto Marçal Grilo volta a encabeçar o Conselho de Ética e Leandro Silva o Conselho Fiscal.

Natural de Santarém, Constantino foi eleito pela primeira vez presidente do COP em 26 de março de 2013, sucedendo a Vicente Moura, ao conquistar 92 votos face aos 67 do rival Marques da Silva, e reeleito em 23 de fevereiro de 2017, com 144, num ato em que era o único candidato.

RBA // MO

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS