Clubes vão expressar desagrado por “tratamento injustificável” do Governo ao futebol

Os clubes dos dois campeonatos profissionais de futebol vão apresentar uma carta aberta ao Governo a expressar o “descontentamento” pelo “tratamento injustificável” de que a modalidade tem sido alvo, informou a Liga de clubes (LPFP) em comunicado.

Clubes vão expressar desagrado por

Clubes vão expressar desagrado por “tratamento injustificável” do Governo ao futebol

Os clubes dos dois campeonatos profissionais de futebol vão apresentar uma carta aberta ao Governo a expressar o “descontentamento” pelo “tratamento injustificável” de que a modalidade tem sido alvo, informou a Liga de clubes (LPFP) em comunicado.

Este será um dos seis pontos a serem tratados na Assembleia-Geral (AG) extraordinária da LPFP, marcada para 02 de junho, às 09:30, na sede do organismo, no Porto.

“Apresentação, discussão e votação de proposta de carta aberta ao Governo, traduzindo o descontentamento da Liga Portugal e das sociedades desportivas, pela discriminação de que o futebol profissional tem sido objeto e para a reclamação de medidas concretas e de implementação imediata, destinadas a compensar os prejuízos resultantes deste tratamento injustificável pelo Governo de Portugal”, refere o ponto cinco da ordem de trabalhos da AG, datada de segunda-feira.

Os clubes e a LPFP opõem-se à forma como o Governo tem tratado o futebol profissional, reclamando medidas concretas e de implementação imediata, que compensem os prejuízos resultantes desta discriminação.

Esta reivindicação ocorre um dia depois de o presidente da LPFP, Pedro Proença, ter dito à Lusa que iria convocar os clubes para “tomarem uma posição clara e objetiva em função do que tem sido a discriminação em relação a esta indústria”.

“Os clubes irão ser convocados para fazer esta demonstração, se é que o fizeram ao terminarem a época da forma como terminaram, cumprindo de forma escrupulosa tudo o que foram orientações da DGS. Agora é tempo e altura de o Governo olhar esta indústria como tem de ser tratada”, disse, na segunda-feira, Pedro Proença.

O dirigente recordou a ausência de resposta por parte do Governo a uma carta enviada em 22 de março, em que reivindicava a tutela partilhada do setor pelo Ministério da Educação e da Economia, a criação de uma linha de financiamento para o setor ou os pedidos de revisão do enquadramento fiscal ou da lei das apostas desportivas.

Na AG de 02 de junho, serão ainda discutidas e votadas as propostas de alteração ao regulamento das competições profissionais de futebol apresentadas pela direção da Liga de clubes, bem como mudanças no regulamento disciplinar e no regulamento de arbitragem das competições organizadas pelo organismo.

Em março, a Liga de clubes promoveu reuniões por videoconferência entre os treinadores das equipas que disputam a I e II ligas, sendo que, na altura, um dos temas trazidos à discussão pelos técnicos foi o condensado calendário de competições da época 2021/22, tendo em conta que o próximo Campeonato do Mundo, no Qatar, realizar-se-á em dezembro de 2022 e obrigará à libertação de jogadores a meio de novembro desse ano.

Nessa reunião, foram ainda revelados aos treinadores alterações ao formato da Taça da Liga em 2021/22.

MO/JP // AJO

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS