Candidato ao Conselho Superior do FC Porto sublinha “importância dos sócios” no clube

Miguel Brás da Cunha, da lista autónoma candidata ao Conselho Superior do FC Porto, fez hoje a apresentação da lista D, sublinhando a importância dos sócios na vida do clube.

Candidato ao Conselho Superior do FC Porto sublinha

Candidato ao Conselho Superior do FC Porto sublinha “importância dos sócios” no clube

Miguel Brás da Cunha, da lista autónoma candidata ao Conselho Superior do FC Porto, fez hoje a apresentação da lista D, sublinhando a importância dos sócios na vida do clube.

“Os sócios são a coisa mais importante do clube, são a alma e o coração do clube. E têm de existir condições para que os sócios participem na vida do clube. Que possam votar com facilidade, que sejam ouvidos. A nossa ideia central e toda a nossa proposta gira à volta da importância dos sócios. O FC Porto tem de ser insubmisso e para isso tem de ter atrás de si um exército de sócios que combatam as injustiças quando sentirem que as há”, referiu o candidato no auditório Fernando Sardoeira Pinto.

A aposta nas modalidades é uma das bandeiras do programa que apresentam para o FC Porto e que passa, não só por um maior apoio nas modalidades que existem, mas também por trazer novas.

“Uma das nossas ideias, que é muito cara, mas que achamos que só assim poderá trazer mais sócios, é a ideia do ecletismo. Mais modalidades significa mais participação dos sócios. A centralidade do sócio resume as nossas ideias”, acrescentou.

Em relação a relevância do órgão a que concorre, Miguel Brás da Cunha afirma que o Conselho Superior merece ter mais visibilidade, coisa que defende que não acontece neste momento, e que é fundamental levá-lo para a rua. 

“Esperamos que os sócios entendam a importância do Conselho Superior. Pretendemos que este órgão saia do papel e venha para a rua, ajudando a direção e ouvindo os sócios. Não temos notícias da existência e da atuação do Conselho Superior, mas queremos que isso mude. Não por vaidade, mas porque achamos que isso beneficiará o clube. Um órgão que possa ajudar, que seja dinâmico, que tenha a responsabilidade de ouvir os sócios e perguntar o que eles anseiam, o que acham que pode ajudar o clube a melhorar… é essa a responsabilidade que queremos assumir”, esclareceu.

O candidato da lista D explicou ainda que quer ver a lista que representa ser “a mais votada”, porque está nas eleições para as ganhar.

“Todos estarão representados no Conselho, mas queremos ser a mais representada”, finalizou.

JYA // AJO

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS