Bruno de Carvalho acusado de tentativa de rapto de jogador

Catió Baldé acusa Bruno de Carvalho de tentar raptar Bruma. Segundo o empresário guineense, o ex-presidente dos leões ordenou à Juve Leo o sequestro do jogador do Sporting e seu cliente.

Bruno de Carvalho acusado de tentativa de rapto de jogador

Bruno de Carvalho acusado de tentativa de rapto de jogador

Catió Baldé acusa Bruno de Carvalho de tentar raptar Bruma. Segundo o empresário guineense, o ex-presidente dos leões ordenou à Juve Leo o sequestro do jogador do Sporting e seu cliente.

O caso remonta a 2013 e aos primeiros meses de mandato de Bruno de Carvalho no Sporting. Na altura, existia um diferendo grave entre o clube de Alvalade e o jovem Bruma, uma vez que a promessa luso-guineense não queria renovar contrato com o Sporting.

Segundo Catió Baldé, Bruno de Carvalho queria forçar o jogador a renovar contrato com o clube e, após a tentativa de rescisão contratual, chegou mesmo a ‘encomendar’ o rapto de Bruma à Juve Leo.

Bruno de Carvalho ordenou emboscada em Sete Rios

Num comunicado enviado às redações, o empresário afirma que a claque afecta ao Sporting chegou mesmo a montar ‘uma emboscada com dezenas de elementos’. Baldé conta que o seu cliente estava alojado num hotel na zona de Sete Rios, em Lisboa, e que existiu uma fuga de informação que levou à presença de vários elementos da Juventude Leonina. «O Bruma estava alojado num hotel e houve fuga de informação de onde ele estava. A Juve Leo montou uma emboscada com dezenas de tropas à espera da chegada de Bruma. Quando ele chegou, no seu novinho Mercedes e ainda a aprender a conduzir bem, mal saiu do carro foi cercado por leões da Juve Leo», afirma Catió Baldé.

LEIA MAIS: Bruno de Carvalho culpa jogadores por terem provocado situação na Academia

O empresário conta ainda que o intuito do ‘rapto’ era levar o jogador à presença de Bruno de Carvalho. «a conversa para Bruma: Tens de nos acompanhar porque o presidente Bruno carvalho quer falar contigo’. O Bruma é um miúdo corajoso. Respondeu que não ia sem ser acompanhado pelo seu agente Catió Baldé. O Bruma no meio daquele exército consegue fugir e meter-se no carro em direção ao IC19, para casa de amigos e colegas».

Já em casa de amigos, na zona de Monte Abraão/Massamá, Baldé e o advogado Bebiano Gomes encontraram-se com o jovem, tendo visto «dezenas de carros parados na estrada» de elementos da Juve Leo que esperavam o jogador. Bruma  «corajosamente saiu de carro e enfrentou-os, mais confiante, porque estava já com os amigos», referiu o agente.


Fuga para o Dubai rumo a Istambul


«Ficou bem claro que foi o Bruno de Carvalho a ordenar o rapto de Bruma para ser conduzido ao estádio com intenções claras de o obrigar assinar o novo contrato. Após a decisão que não reconheceu o pedido da rescisão, reuni com o Bruno de Carvalho e chegámos a um acordo para a transferência para o Galatasaray da Turquia. Nessas reuniões a sós com o Bruno de Carvalho, ele confessou-me que aquela situação do hotel com adeptos era somente para assustar e falar com o Bruma», concluiu Catió Baldé.

LEIA MAIS: Funcionário de posto de abastecimento salva mulher raptada [vídeo]

Na sequência desta situação, o empresário do jogador e o advogado decidiram retirar Bruma de Portugal, refugiando-o no Dubai, garantindo assim a segurança do jogador.

Leia o comunicado de Catió Baldé na íntegra:

 

«Bruma, a primeira vítima de Bruno de Carvalho com o seu exército / Juve Leo

Bruma viveu, no verão de 2013, nos finais de julho, o maior pesadelo que um jovem de 18 Anos pode viver, no rescaldo da rescisão com o Sporting e nos primeiros dias do mandato de Bruno Carvalho no Sporting. Numa noite quente do verão, Sete Rios foi invadida por um exército armado da Juve Leo com o cerco do Hotel Mercure. O Bruma estava hospedado nesse hotel discretamente, mas houve fuga de informação de onde o Bruma estava hospedado. A Juve Leo montou uma emboscada com dezenas de tropas dentro de automóveis à espera da chegada de Bruma. (Sabiam que o Bruma não estava).

Quando o Bruma chegou no seu novinho carro Mercedes, e ainda aprender conduzir bem, mal saiu de carro foi cercado por leões da Juve Leo, rapazes bronzeados e tatuados/carecas. A primeira conversa para Bruma: ‘tens de nos acompanhar porque o presidente Bruno carvalho quer falar contigo’.

O Bruma é um miúdo corajoso. Respondeu que não ia sem ser acompanhado pelo seu agente Catió Baldé. O Bruma no meio daquele exército consegue fugir e meter-se no carro em direção ao IC19, para casa de amigos e colegas. Nessa fuga o Bruma liga para mim e para o Dr. Bebiano Gomes a contar-nos que estava a ser perseguido e com tentativa de rapto por parte de adeptos do Sporting. Imediatamente eu e o Dr. Bebiano Gomes fomos ter com o Bruma no Monte Abraão/Massamá. Chegados ao local/casa dos amigos de Bruma, estavam dezenas de carros parados na estrada. O Bruma corajosamente saiu de carro e enfrentou-os, mais confiante, porque estava já com os amigos. A minha primeira pergunta para um dos perseguidores foi: ‘o que querem?’ A resposta foi: ‘o Bruma tem que ir falar com o presidente’. Respondi: ‘a esta hora?’ ‘Não importa’, responderam. O Dr. Bebiano Gomes, enquanto eu e o Bruma estávamos no bate boca com os elementos da Juve Leo, estava a contactar as autoridades da estação de Monte Abraão. Quando se aperceberam da chegada da PSP meteram-se todos no carro e arrancaram dali com velocidade, mas não sem antes deixarem mensagens bem claras para mim e para o Bruma. Ameaças que nos iam apanhar. Deslocámo-nos à PSP para fazer participação.

Por causa dessa situação, eu, Catió, e os advogados que estavam a acompanhar o processo da rescisão, enquanto não saía a decisão, tomámos a decisão de colocar o Bruma fora de Portugal, por questão de segurança. O Bruma esteve acantonado durante três semanas no Dubai à espera da decisão da CP.

Ficou bem claro que foi o Bruno de Carvalho a ordenar o rapto de Bruma para ser conduzido ao estádio com intenções claras de o obrigar a assinar o novo contrato. Eu (Catió), pessoalmente, fui perseguido e ameaçado no Campo Grande, no centro comercial Stromp, local do famoso barbeiro guineense WUI MANÉ. Deixei de frequentar por largo tempo esta barbearia.

Após a decisão, que não reconheceu o pedido da rescisão, reuni com o Bruno de Carvalho e chegámos a um acordo para a transferência para o Galatasaray, da Turquia. Nessas reuniões a sós com o Bruno de Carvalho, ele confessou-me que aquela situação do hotel com adeptos era somente para assustar e falar com o Bruma.

Catió Baldé»

 

Texto: Vítor Miguel Gonçalves | WIN

Impala Instagram


RELACIONADOS