Benfica sabe hoje se vai sentar-se no banco dos réus no processo e-Toupeira

Clube encarnado fica, esta quarta-feira, a conhecer a decisão do Tribunal da Relação de Lisboa.

Benfica sabe hoje se vai sentar-se no banco dos réus no processo e-Toupeira

Benfica sabe hoje se vai sentar-se no banco dos réus no processo e-Toupeira

Clube encarnado fica, esta quarta-feira, a conhecer a decisão do Tribunal da Relação de Lisboa.

O Benfica ficará, esta quarta-feira, a saber se vai ou não sentar-se no banco dos réus no âmbito do processo e-Toupeira. A decisão será tomada pelo Tribunal da Relação de Lisboa, depois do recurso interposto pelo Ministério Público, que não concordou com a decisão tomada pela juíza Ana Peres.

Juíza decidiu não levar a julgamento a SAD por nenhum dos 30 crimes

Recorde-se que a juíza decidiu não levar a julgamento a SAD Encarnada por nenhum dos 30 crimes pelos quais foi acusada, bem como o funcionário  judicial Júlio Loureiro. Depois da decisão, o caso foi entregue ao juiz desembargador Rui Teixeira que irá pronunciar-se, esta quarta-feira, sobre a decisão.

Na fase de instrução do processo, a juíza Ana Peres referiu que, à luz da lei, «os factos atribuídos a Paulo Gonçalves não podiam ser imputados diretamente à SAD do Benfica», justificando que o responsável «não fazia parte dos órgãos sociais da pessoa coletiva, nem representava a pessoa coletiva», sendo apenas um funcionário da SAD benfiquista.

Paulo Gonçalves irá responder por corrupção, violação do segredo de justiça, violação do segredo de sigilo e acesso indevido. Já José Silva irá responder pelos mesmos crimes, acrescendo o de peculato. O Tribunal Central Criminal de Lisboa não deu como provados os crimes de favorecimento pessoal, de falsidade informática e de oferta ou recebimento indevido de vantagem.

Texto: Joana Ferreira

LEIA MAIS

Euro 2020: Portugal derruba Lituânia com mão cheia de golos

Previsão do tempo para quinta-feira, 12 de setembro

 

 

Impala Instagram


RELACIONADOS