Impala

Vandalização e roubo de energia provocam elevados prejuízos à Eletricidade de Moçambique

A Eletricidade de Moçambique (EDM) registou prejuízos de 600 milhões de meticais (oito milhões de euros) durante o ano passado na região de Maputo, em resultado do roubo e vandalização de infraestruturas, avançou um responsável da empresa pública.

Maputo, 02 jan (Lusa) – A Eletricidade de Moçambique (EDM) registou prejuízos de 600 milhões de meticais (oito milhões de euros) durante o ano passado na região de Maputo, em resultado do roubo e vandalização de infraestruturas, avançou hoje um responsável da empresa pública.


“Quase diariamente desmantelamos redes clandestinas. Temos outros casos de vandalização de infraestruturas provocada por automobilistas”, disse o diretor da Área de Serviços ao Cliente na EDM, citado pela Rádio Moçambique.


Segundo Neves Xavier, a maior parte dos roubos acontece nas zonas urbanas da província de Maputo e os casos de vandalização nas áreas de expansão na Matola, arredores da capital.


“Temos muitos acidentes contra as nossas infraestruturas, nomeadamente postes. Quando chega o fim de semana, é sempre um desafio, aqui na Matola, porque cada sábado de manhã temos de fazer uma ronda para ver onde é que os postes foram derrubados”, descreveu.


Neves Xavier referiu que existe uma boa comunicação entre a companhia e a polícia, mas o mesmo não sucede com os operadores de reboque, que removem as viaturas acidentadas sem alertar para a destruição de infraestruturas elétricas.


“É um apelo que fazemos a todas as pessoas e empresas que prestam serviços de reboque de viaturas sinistradas, para que, em casos de encontrarem viaturas que tenham danificado infraestruturas elétricas, não retirá-las sem comunicar à EDM”, afirmou ainda.



HB // EL


Lusa/Fim


RELACIONADOS

Vandalização e roubo de energia provocam elevados prejuízos à Eletricidade de Moçambique

A Eletricidade de Moçambique (EDM) registou prejuízos de 600 milhões de meticais (oito milhões de euros) durante o ano passado na região de Maputo, em resultado do roubo e vandalização de infraestruturas, avançou um responsável da empresa pública.