Países de língua portuguesa acordam acelerar projetos candidatos ao Fundo Europeu de Desenvolvimento

Países de língua portuguesa acordam acelerar projetos candidatos ao Fundo Europeu de Desenvolvimento

Representantes do programa de cooperação dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) e Timor-Leste com a União Europeia acordaram acelerar a apresentação de projetos ao Fundo Europeu de Desenvolvimento.

Praia, 09 dez (Lusa) – Representantes do programa de cooperação dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) e Timor-Leste com a União Europeia acordaram hoje acelerar a apresentação de projetos ao Fundo Europeu de Desenvolvimento.


Ministros e representantes nacionais do programa de cooperação dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) e Timor-Leste com a União Europeia estiveram reunidos na cidade da Praia, para fazer um ponto de situação da cooperação com a UE.


Identificar e sinalizar projetos a serem financiados no âmbito do 11º Fundo de Europeu de Desenvolvimento, a vigorar até 2020 com uma dotação orçamental de 30 milhões de euros, foi outro dos temas em destaque no encontro, que terminou com a reafirmação da vontade política de “fortalecer a cooperação” entre os dois blocos.


O 11º Fundo de Desenvolvimento Europeu vai continuar a apostar no financiamento de projetos na área da na boa governação e do fortalecimento das instituições nestes países, mas alarga o âmbito do financiamento ao setor privado e a iniciativas no domínio das indústrias criativas na perspetiva da criação de emprego.


Cabo Verde assumiu, durante a reunião, a presidência política grupo, sucedendo a São Tomé e Príncipe, e durante o seu mandato deverão ser definidos os projetos a serem implementados no âmbito do FED.


Este é um dos compromissos que consta da declaração da Praia aprovada durante a reunião.


Os países comprometeram-se a “envidar esforços com vista a uma célebre concretização do processo de identificação e formulação de projetos” candidatos ao FED, bem como à sua “eficácia, eficiência e impacto”.


Os participantes na reunião concordaram também na necessidade de prosseguir com “a melhoria dos mecanismos de governação do programa” para garantir “mais eficácia, eficiência, impacto e visibilidade à cooperação dos PALOP-TL com a União Europeia”.


A Cooperação entre os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa e Timor-Leste (PALOP-TL) e a União Europeia (UE) que completará vinte e cinco anos de atividade em 2017, inscreve-se no quadro da parceria global entre o Grupo de Países de África, Caraíbas e Pacífico (ACP) e a União Europeia, previsto no Acordo de Cotonou.


O programa tem como objetivo apoiar os esforços de desenvolvimento de Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor Leste no fortalecimento da cooperação em áreas de interesse comum.



CFF // JMR


Lusa/Fim


RELACIONADOS

Países de língua portuguesa acordam acelerar projetos candidatos ao Fundo Europeu de Desenvolvimento

Representantes do programa de cooperação dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) e Timor-Leste com a União Europeia acordaram acelerar a apresentação de projetos ao Fundo Europeu de Desenvolvimento.