Impala

Mulher do embaixador grego morto no Brasil detida por suspeita de cumplicidade

A mulher do embaixador grego no Brasil encontrado morto na quinta-feira foi hoje detida, assim como um polícia com quem mantinha uma relação extraconjugal, por suspeita de autoria do homicídio, informou a polícia.

Rio de Janeiro, 31 dez (Lusa) — A mulher do embaixador grego no Brasil encontrado morto na quinta-feira foi hoje detida, assim como um polícia com quem mantinha uma relação extraconjugal, por suspeita de autoria do homicídio, informou a polícia.


O diplomata, Kyriakos Amiridis, foi encontrado morto dentro de um automóvel calcinado perto do Rio de Janeiro e a polícia deteve três pessoas suspeitas de envolvimento, entre elas a mulher e um agente da polícia militar.


O delegado policial Evaristo Magalhães afirmou, em conferência de imprensa, que se tratou de um “crime passional”.


“Ela teria planeado, juntamente com o polícia militar, toda a organização do crime”, disse.


Os três suspeitos estão em prisão preventiva por 30 dias, prorrogáveis por mais 30.


Segundo as primeiras investigações, o polícia Sérgio Gomes Moreira foi o autor material do crime e contou com a ajuda de um primo para se desfazer do corpo, encontrado “completamente carbonizado” dentro do veículo.


A causa de morte não foi ainda estabelecida, aguardando-se o resultado da autópsia.


O primo do polícia implicado, detido e colocado em prisão preventiva, confessou à polícia que a mulher, a brasileira Françoise Amiridis, o contratou e lhe “ofereceu pessoalmente 80.000 reais (23.300 euros)”.


O delegado policial indicou que foi a própria mulher, acompanhada do advogado, que participou o desaparecimento do marido, de 59 anos.


As câmaras de segurança da zona e as sucessivas contradições das declarações da mulher ajudaram as autoridades a afastar a hipótese de sequestro e a começar a trabalhar na de homicídio.


Kyriakos amiridis foi cônsul da Grécia no Rio de Janeiro entre 2001 e 2004 e foi promovido a embaixador em Brasília no princípio de 2016.



MDR // ARA


Lusa/Fim


RELACIONADOS

Mulher do embaixador grego morto no Brasil detida por suspeita de cumplicidade

A mulher do embaixador grego no Brasil encontrado morto na quinta-feira foi hoje detida, assim como um polícia com quem mantinha uma relação extraconjugal, por suspeita de autoria do homicídio, informou a polícia.