Investigação sobre Cohen tem a ver com negócios pessoais

Investigação sobre Cohen tem a ver com negócios pessoais

Procuradores federais revelaram que a investigação sobre o advogado pessoal de Trump, Michael Cohen, que envolve suspeitas de fraude nos negócios pessoais, durava há algum tempo e que os investigadores já tinham acedido aos seus mails.

Nova Iorque, EUA, 14 abr (Lusa) – Procuradores federais revelaram na sexta-feira que a investigação sobre o advogado pessoal de Trump, Michael Cohen, que envolve suspeitas de fraude nos negócios pessoais, durava há algum tempo e que os investigadores já tinham acedido aos seus mails.


Os detalhes da investigação vieram a público quando os advogados de Cohen e Trump tentaram bloquear o Departamento de Justiça de examinar registos e dispositivos eletrónicos, incluindo dois telemóveis, apreendidos na segunda-feira pelo FBI a partir do escritório de Cohen e do cofre.


Estas buscas enfureceram Trump, que classificou a situação de um “ataque ao país” e enviou o seu advogado para uma audiência urgente perante um juiz federal em Manhattan para argumentar que alguns dos registos e comunicações apreendidas são confidenciais e respeitam a relação advogado-cliente e, portanto, fora dos limites da investigação.


Os procuradores obtiveram pistas sobre as leis que eles consideram que Cohen violou, sendo que também foram obtidos novos dados sobre uma investigação que o escritório de Manhattan tinha anteriormente se recusado a investigar.


“Embora Cohen seja um advogado, ele também tem vários outros interesses comerciais e fontes de rendimentos. As buscas são o resultado de vários meses de investigação sobre Cohen, e visam evidências de crimes, muitos deles que nada têm a ver com o seu trabalho de advocacia, mas sim com os seus negócios”, refere o documento assinado pelo procurador-assistente dos Estados Unidos, Thomas McKay.



ALU // ARA

By Impala News / Lusa


RELACIONADOS

Investigação sobre Cohen tem a ver com negócios pessoais

Procuradores federais revelaram que a investigação sobre o advogado pessoal de Trump, Michael Cohen, que envolve suspeitas de fraude nos negócios pessoais, durava há algum tempo e que os investigadores já tinham acedido aos seus mails.