Impala

Forças iraquianas recuperam mais de dois terços do leste de Mossul

As forças iraquianas recuperaram mais de dois terços do leste de Mossul aos “jihadistas” do Estado Islâmico desde o início da sua ofensiva a 17 de outubro, disse hoje um chefe de uma força de elite.

Basakhra, Iraque, 01 jan (Lusa) — As forças iraquianas recuperaram mais de dois terços do leste de Mossul aos “jihadistas” do Estado Islâmico desde o início da sua ofensiva a 17 de outubro, disse hoje um chefe de uma força de elite.


“No leste de Mossul (…) mais de 60% dos setores foram recuperados aos ‘jihadistas'”, indicou à agência France Presse o general Abdelwahab al-Saadi, um dos chefes das forças de elite do contraterrorismo (CTS), no seu quartel-general de Basakhra, a sudeste da segunda cidade do Iraque.


O CTS é o “ponta de lança” da ofensiva das forças iraquianas lançada a 17 de outubro para recuperar Mossul e os seus soldados foram os primeiros a entrar no início de novembro na cidade ocupada pelo grupo extremista desde junho de 2014.


Os ‘jihadistas’ têm oposto uma resistência obstinada e ainda controlam todos os distritos ocidentais de Mossul. Além disso, a progressão da polícia e do exército, com apoio aéreo da coligação internacional, é prejudicada pela presença de centenas de milhares de civis, carros armadilhados e atiradores furtivos do Estado Islâmico.


Após uma pausa de duas semanas, as forças iraquianas lançaram na quinta-feira a “segunda fase” da sua ofensiva, que se espera permitirá recuperar a totalidade da parte oriental de Mossul.


O CTS e as Forças de Intervenção Rápida do Ministério do Interior já deram um passo naquela direção juntando-se no sábado, após os seus efetivos terem “libertado” os bairros de Al-Qods e Al-Intisar. Deverão agora seguir em conjunto na direção do rio Tigre que atravessa Mossul.



PAL // CC


Lusa/fim


RELACIONADOS

Forças iraquianas recuperam mais de dois terços do leste de Mossul

As forças iraquianas recuperaram mais de dois terços do leste de Mossul aos “jihadistas” do Estado Islâmico desde o início da sua ofensiva a 17 de outubro, disse hoje um chefe de uma força de elite.