Impala

Encontrada caixa negra de avião russo que se despenhou no mar Negro

A principal caixa negra do avião militar russo que se despenhou no domingo no mar Negro, com 92 pessoas a bordo, foi encontrada, disse hoje o Ministério da Defesa às agências de noticiais locais.

Moscovo, 27 dez (Lusa) — A principal caixa negra do avião militar russo que se despenhou no domingo no mar Negro, com 92 pessoas a bordo, foi encontrada, disse hoje o Ministério da Defesa às agências de noticiais locais.


“A principal caixa negra foi encontrada às 05:42 hora de Moscovo (02:42 em Lisboa), a 1.600 metros da costa, a uma profundidade de 17 metros”, segundo o ministério, citado pelas agências.


Diversas partes do avião foram detetadas na segunda-feira, a 27 metros de profundidade, indicaram as equipas de regaste do ministério russo das Situações de urgência.


O TU-154 do Ministério da Defesa russo despenhou-se dois minutos e 44 segundos após a sua descolagem da estação balnear de Sochi quando se dirigia para a Síria.


As causas do acidente ainda não são conhecidas mas os investigadores parecem ter afastado a hipótese de atentado terrorista.


O avião despenhou-se na madrugada de domingo pouco após ter descolado às 05:25 (hora local, 02:25 em Lisboa) do aeroporto de Sochi, onde efetuou uma escala para reabastecimento de combustível e após ter partido do aeródromo militar de Chkalovsky, na região de Moscovo.


A bordo estavam 64 membros do Alexandrov Ensemble — o grupo musical oficial das Forças Armadas, também conhecido por Coro do Exército Vermelho –, e o seu maestro, Valery Khalilov.


O coro deveria atuar para as tropas russas estacionadas na base aérea de Hmeimim, utilizada para desencadear os ataques aéreos em apoio às forças do Presidente sírio Bashar al-Assad, um aliado de Moscovo.



ISG (PCR) // DM


Lusa/fim


RELACIONADOS

Encontrada caixa negra de avião russo que se despenhou no mar Negro

A principal caixa negra do avião militar russo que se despenhou no domingo no mar Negro, com 92 pessoas a bordo, foi encontrada, disse hoje o Ministério da Defesa às agências de noticiais locais.