Impala

Berlim/Atentado: Polícia alemã faz detenções em Dortmund

A polícia antiterrorismo alemã fez hoje quatro detenções em Dortmund, no oeste do país, que estariam provavelmente ligadas à procura do suspeito do atentado de Berlim, divulgaram os canais de televisão alemães WDR e N-TV.

Berlim, 22 dez (Lusa) — A polícia antiterrorismo alemã fez hoje quatro detenções em Dortmund, no oeste do país, que estariam provavelmente ligadas à procura do suspeito do atentado de Berlim, divulgaram os canais de televisão alemães WDR e N-TV.


Dois apartamentos foram revistados e a polícia fez “quatro detenções”, referiu a WDR no seu site da internet.


O canal de notícias N-TV referiu que as quatro pessoas são próximas do autor do atentado de Berlim, procurado por toda a polícia do país, e que estiveram em contacto com o suspeito no início deste ano.


O suspeito é Anis Amri, um tunisino de 24 anos e um requerente de asilo que teve o seu pedido rejeitado, o provável autor do atentado com um camião num mercado de Natal em Berlim, que deixou 12 mortos e 48 feridos na noite de segunda-feira.


Uma caça ao homem ao nível europeu está em curso para encontrar Anis Amri, depois de um tribunal alemão ter emitido um mandado de prisão no continente, mais de dois dias depois o ataque em Berlim, já reivindicado pelo grupo Estado islâmico (EI).


A cidade de Dortmund está situada no estado regional da Renânia do Norte-Vestfalia, região no oeste da Alemanha em que, recentemente, um jovem ficou conhecido por abrigar um número importante de militantes salafistas.


“Peço-lhe para se entregar à polícia e se for provado que está envolvido, afastámo-nos dele”, disse à agência de notícias Associated Press (AP) Abdelkader Amri, um irmão do suspeito do ataque em Berlim, a partir de Oueslatia, no centro da Tunísia.


Anis Amri deixou a Tunísia há anos e veio para a Europa, mas manteve um contacto regular com os seus irmãos por telefone e via Facebook.


Abdelkader Amri disse que o irmão pode ter sido radicalizado na prisão em Itália, onde esteve depois de deixar a Tunísia, na sequência dos protestos da ‘Primavera Árabe’.


O mercado de Natal de Berlim atacado na segunda-feira reabriu ao público três dias depois do atentado terrorista que matou 12 e feriu outras 48 pessoas.


Blocos de betão foram colocados pelas autoridades à beira da estrada para aumentar a segurança no local.


Os organizadores decidiram reabrir o mercado ao lado da Igreja Central Kaiser Wilhelm Memorial, embora sem música ou iluminação.


Os berlinenses e os visitantes colocaram velas e flores no local em homenagem aos mortos no ataque.



CSR // VM


Lusa/Fim


RELACIONADOS

Berlim/Atentado: Polícia alemã faz detenções em Dortmund

A polícia antiterrorismo alemã fez hoje quatro detenções em Dortmund, no oeste do país, que estariam provavelmente ligadas à procura do suspeito do atentado de Berlim, divulgaram os canais de televisão alemães WDR e N-TV.