Impala

Aeroporto da Florida reaberto após tiroteio que matou cinco pessoas

O Aeroporto Internacional de Fort Lauderdale, no sul da Florida, reabriu depois de ter estado encerrado, na sequência do ataque perpetrado por um veterano da guerra no Iraque, que matou a tiro cinco pessoas e feriu outras oito.

Miami, 07 jan (Lusa) — O Aeroporto Internacional de Fort Lauderdale, no sul da Florida, reabriu hoje depois de ter estado encerrado, na sequência do ataque perpetrado por um veterano da guerra no Iraque, que matou a tiro cinco pessoas e feriu outras oito.


A polícia identificou o suspeito como Esteban Santiago, de 26 anos, que se encontra detido e a ser interrogado pelo FBI sobre o tiroteio que levou ao encerramento do aeroporto, importante porta de entrada para o Caribe e para a América Latina.


Santiago, que anteriormente se havia queixado de que a CIA o forçava a ver vídeos de jihadistas do Estado islâmico, abriu fogo aleatoriamente com uma arma semi-automática na sexta-feira, pouco antes das 13:00 (hora local, 18:00 em Lisboa), na área de bagagens do Terminal 2.


O aeroporto de Fort Lauderdale anunciou às 05:00 (10:00 em Lisboa), que estava novamente aberto, mas pediu aos passageiros que verificassem com as suas companhias aéreas.


Santiago tinha viajado do Alasca para Fort Lauderdale, com uma escala em Minneapolis, Minnesota, disse o agente especial do gabinete do FBI em Miami George Piro aos jornalistas.


O suspeito tinha uma arma dentro da bagagem despachada, que declarou às autoridades do aeroporto, e depois usou-a no tiroteio.


Imagens transmitidas pela televisão mostravam pessoas a fugir do local, enquanto outras se refugiavam em diversas zonas do complexo ou escapavam para o exterior. Unidades especiais da polícia também foram enviadas para o local.


Santiago entregou-se às autoridades sem oferecer resistência.


George Piro disse que as autoridades estão a estudar todas as possibilidades, incluindo a do “terrorismo”, mas adiantou que levará algum tempo até que seja determinada a natureza do ataque.


A imprensa norte-americana informou que Esteban Santiago entrou em novembro num escritório do FBI em Anchorage (Alasca) e disse que ouvia vozes que o instavam a alistar-se no Estado Islâmico (EI),incidente pelo qual recebeu tratamento psiquiátrico.


Santiago afirmou que estava a ser forçado a lutar pelo grupo do Estado Islâmico e que a CIA controlava a sua mente para o obrigar a assistir a vídeos do Estado Islâmico, disseram várias fontes dos EUA, citando autoridades policiais não identificadas.


Santiago, que nasceu em Nova Jersey e cresceu em Porto Rico, é um ex-membro da Guarda Nacional de Porto Rico e Alasca, tendo servido no Iraque de abril de 2010 a fevereiro de 2011 e terminado o serviço em agosto.


AL//GC


Lusa/Fim


RELACIONADOS

Aeroporto da Florida reaberto após tiroteio que matou cinco pessoas

O Aeroporto Internacional de Fort Lauderdale, no sul da Florida, reabriu depois de ter estado encerrado, na sequência do ataque perpetrado por um veterano da guerra no Iraque, que matou a tiro cinco pessoas e feriu outras oito.