Venezuela solidariza-se com Lula da Silva pela
Impala

Venezuela solidariza-se com Lula da Silva pela “injusta” decisão do tribunal

O Presidente venezuelano, Nicolás Maduro, manifestou hoje a sua solidariedade com o ex-chefe de Estado brasileiro Lula da Silva pelo que classificou de “injusta” decisão do Tribunal Supremo do Brasil de recusar um pedido de ‘habeas corpus’.

Caracas, 05 abr (Lusa) – O Presidente venezuelano, Nicolás Maduro, manifestou hoje a sua solidariedade com o ex-chefe de Estado brasileiro Lula da Silva pelo que classificou de “injusta” decisão do Tribunal Supremo do Brasil de recusar um pedido de ‘habeas corpus’.


“Não só o Brasil, o mundo inteiro te abraça (…) Dói na alma esta injustiça. A direita, perante a sua incapacidade para ganhar democraticamente, elegeu o caminho judicial para amedrontar as forças populares. Mais cedo que tarde vencerá a Pátria Grande”, escreveu Maduro na rede social Twitter.


Por outro lado, num comunicado divulgado pelo Ministério de Relações Exteriores da Venezuela, Caracas “expressa a sua sentida solidariedade com o companheiro Lula da Silva, que foi alvo da mais grotesca injustiça de fatores da direita brasileira com o propósito de impedir a sua iminente eleição como Presidente do Brasil”.


“Uma vez mais os setores retrógrados e antidemocráticos do Brasil usam a via judicial para perseguir os líderes progressistas e para limitar o direito do povo do Brasil a reorientar o seu caminho pela senda da igualdade e da unidade nacional”, lê-se na nota.


Segundo o comunicado, “hoje no Brasil ficou em evidência outra prova do golpe continuado a fim de forçar a restauração conservadora. Não tiveram vergonha, para tal, de usar a ameaça e o amedrontamento das instituições e dos setores populares”.


Depois de 11 horas de deliberações, os 11 juízes do Supremo Tribunal Federal (STF) negaram na madrugada de hoje por seis contra cinco o ‘habeas corpus’ preventivo, apresentado pela defesa de Lula da Silva, para que o ex-Presidente permanecesse em liberdade enquanto a Justiça do país analisa recursos de um processo em que já foi considerado culpado em primeira e segunda instância.


O antigo chefe de Estado brasileiro foi condenado a 12 anos e um mês de prisão, em regime fechado, no Tribunal Regional da 4ª Região (TRF4, segunda instância) em janeiro e agora pode começar a cumprir pena, assim que a decisão do STF seguir os trâmites judiciais, num processo que não será imediato já que existem ainda prazos de contestação da defesa.


A prisão de Lula da Silva está relacionada com um dos processos da Operação Lava Jato, o maior escândalo de corrupção do Brasil, tendo sido considerado condenado por ter recebido um apartamento de luxo como suborno da construtora OAS em troca de favorecimento de contratos com a petrolífera estatal Petrobras.



FPG (CYR) // EL

By Impala News / Lusa


RELACIONADOS

Venezuela solidariza-se com Lula da Silva pela “injusta” decisão do tribunal

O Presidente venezuelano, Nicolás Maduro, manifestou hoje a sua solidariedade com o ex-chefe de Estado brasileiro Lula da Silva pelo que classificou de “injusta” decisão do Tribunal Supremo do Brasil de recusar um pedido de ‘habeas corpus’.