Impala

Rússia “não vai expulsar ninguém” em resposta a sanções dos EUA – Putin

A Rússia “não vai expulsar ninguém” em resposta às sanções norte-americanas divulgadas na quinta-feira contra Moscovo, acusada de ingerência eleitoral, declarou o presidente russo, Vladimir Putin.

Moscovo, 30 dez (Lusa) — A Rússia “não vai expulsar ninguém” em resposta às sanções norte-americanas divulgadas na quinta-feira contra Moscovo, acusada de ingerência eleitoral, declarou hoje o presidente russo, Vladimir Putin.


“Não vamos expulsar ninguém”, assegurou Putin num comunicado divulgado pelo Kremlin, depois do seu chefe da diplomacia, Serguei Lavrov, ter proposto a expulsão de 35 diplomatas norte-americanos.


A Rússia reserva-se, no entanto, “o direito de tomar medidas de retaliação” e “restaurará as relações russo-americanos à luz do que será a política do presidente norte-americano eleito Donald Trump”, precisou.


Numa declaração transmitida pela televisão, Lavrov anunciou que “o Ministério dos Negócios Estrangeiros (…) propôs ao presidente russo declarar ‘persona non grata’ 31 diplomatas da embaixada dos Estados Unidos em Moscovo e quatro diplomatas do consulado geral norte-americano em São Petersburgo (noroeste)”.


“A reciprocidade é a regra da diplomacia nas relações internacionais”, afirmou Lavrov, adiantando ter sido igualmente proposta a interdição aos diplomatas norte-americanos de utilização de uma casa de campo nos arredores de Moscovo e de um edifício que servia de depósito na capital russa.


Na quinta-feira, o presidente norte-americano, Barack Obama, anunciou a expulsão de 35 agentes dos serviços de informações e o encerramento de duas delegações russas, em Nova Iorque e no Estado do Maryland, perto de Washington, consideradas como bases utilizadas por agentes secretos russos.



PAL // APN


Lusa/fim


RELACIONADOS

Rússia “não vai expulsar ninguém” em resposta a sanções dos EUA – Putin

A Rússia “não vai expulsar ninguém” em resposta às sanções norte-americanas divulgadas na quinta-feira contra Moscovo, acusada de ingerência eleitoral, declarou o presidente russo, Vladimir Putin.