Portugal vai apoiar Cabo Verde na montagem de centro de coordenação marítima no Golfo da Guiné

Portugal vai apoiar Cabo Verde na montagem de centro de coordenação marítima no Golfo da Guiné

Portugal vai apoiar Cabo Verde na montagem do centro de coordenação e vigilância marítima para a zona norte do Golfo da Guiné que o país assumiu o compromisso de acolher, foi hoje anunciado.

Praia, 03 dez (Lusa) – Portugal vai apoiar Cabo Verde na montagem do centro de coordenação e vigilância marítima para a zona norte do Golfo da Guiné que o país assumiu o compromisso de acolher, foi hoje anunciado.


Cabo Verde manifestou na sexta-feira, durante uma reunião do grupo G7++ Amigos do Golfo da Guiné, disponibilidade para acolher um centro multinacional de coordenação e vigilância marítima na denominada zona G (Cabo Verde, Senegal, Gâmbia e Guiné-Bissau) do Golfo da Guiné.


“Tomamos a decisão de termos um centro de proteção e segurança marítima e Portugal está disponível para ajudar Cabo Verde na montagem deste centro, que terá também o apoio da Comunidade Económica de Estados da África Ocidental (CEDEAO) e de outros países membros do G7”, disse hoje o ministro dos Negócios Estrangeiros e da Defesa cabo-verdiano.


Luís Filipe Tavares falava aos jornalistas na cidade da Praia no final de uma reunião conjunta com o homólogo português, Azeredo Lopes, que termina hoje uma visita de dois dias a Cabo Verde.


Azeredo Lopes sublinhou a “circunstância muito feliz” de Cabo Verde ter assumido o compromisso de acolher o centro, considerando que se trata de uma decisão de “enorme visão e sentido estratégico”.


“Envolve muitos meios materiais, recursos humanos, meios navais e Portugal mostrou a disponibilidade plena para, à luz das suas possibilidades, contribuir para que Cabo Verde possa desempenhar um trabalho importantíssimo nesta área, que envolve uma questão de segurança e defesa ao nível global”, disse o ministro da Defesa português.


No encontro, os dois ministros passaram também em revista a cooperação técnico-militar entre os dois países, apontando prioridades para o próximo quadro de cooperação, que deverá vigorar até 2020.


“Discutimos muito a reforma das Forças Armadas, da Guarda Costeira, da Autoridade Marítima Portuária e tudo o que tem a ver com a segurança marítima de Cabo Verde e da nossa sub-região”, disse Luís Filipe Tavares.


O ministro assinalou ainda a disponibilidade de Portugal para cooperar com Cabo Verde nas áreas da informação militar e formação e treino das Forças Armadas, além da participação em exercícios conjuntos.


Azeredo Lopes destacou, por seu lado, a aposta de Portugal na área da engenharia militar, através da elaboração de planos de risco, e na componente da segurança marítima, designadamente através da formação e da cooperação de Cabo Verde em projetos ou missões em que Portugal esteja envolvido.


Durante a sua visita a Cabo Verde, Azeredo Lopes participou na sessão de encerramento da reunião do G7++ Amigos do Golfo da Guiné, que marcou o fim da presidência portuguesa do grupo.


Parte do programa da deslocação, que incluía um encontro de cortesia com o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, acabou por ser cancelado, devido a um atraso no voo em que o ministro português viajou.



CFF // CSJ


Lusa/Fim


RELACIONADOS

Portugal vai apoiar Cabo Verde na montagem de centro de coordenação marítima no Golfo da Guiné

Portugal vai apoiar Cabo Verde na montagem do centro de coordenação e vigilância marítima para a zona norte do Golfo da Guiné que o país assumiu o compromisso de acolher, foi hoje anunciado.