Impala

Perseguição aos judeus “foi um erro histórico que foi praticado” — Presidente da República

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou que a perseguição aos judeus “foi um erro histórico que foi praticado”, e com o qual Portugal perdeu em termos culturais, científicos, económicos e financeiros.

*** Serviço de áudio disponível em www.lusa.pt ***



Lisboa, 20 mar (Lusa) – O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou hoje que a perseguição aos judeus “foi um erro histórico que foi praticado”, e com o qual Portugal perdeu em termos culturais, científicos, económicos e financeiros.


O chefe de Estado falava aos jornalistas no final de uma visita a uma exposição sobre a presença judaica em Portugal, na Torre do Tombo, em Lisboa.


“Há muitos portugueses que não têm a noção de que antes de haver Portugal já havia comunidades judaicas fortes no território que viria a ser o do nosso país. E não têm a noção da importância dessas comunidades, e daquilo que foi, de facto, hoje sabemos, um erro histórico, que foi a Inquisição e foi a perseguição às comunidades judaicas”, declarou.


Marcelo Rebelo de Sousa referiu que os judeus que saíram de Portugal foram “para todo o mundo, mas desde logo para a Europa, da Europa para os novos continentes, nomeadamente América do Norte e América do Sul”.


“E perdeu-se. Perdeu-se em cultura, perdeu-se em ciência, perdeu-se em economia, perdeu-se em finanças, perdeu-se em saber. Foi um erro histórico que foi praticado. E esta exposição permite perceber por que é que um erro”, reforçou.


“Nós perdemos aquilo que outras sociedades europeias ganharam”, lamentou.


Segundo o Presidente da República, esta exposição “permite compreender” o impacto dessa perda da presença judaica em Portugal, que em parte continuou, de forma “escondida, dissimulada, por detrás da aparente conversão ao cristianismo”.



IEL // ARA

By Impala News / Lusa


RELACIONADOS

Perseguição aos judeus “foi um erro histórico que foi praticado” — Presidente da República

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou que a perseguição aos judeus “foi um erro histórico que foi praticado”, e com o qual Portugal perdeu em termos culturais, científicos, económicos e financeiros.