Impala

ONU apela aos EUA para que continuem a acolher refugiados

A ONU apelou ao presidente norte-americano, Donald Trump, para que prossiga com a longa tradição de acolhimento de refugiados nos Estados Unidos e para que não faça distinção de raças, de nacionalidade ou de religião.

Genebra, Suíça, 28 jan (Lusa) — A ONU apelou hoje ao presidente norte-americano, Donald Trump, para que prossiga com a longa tradição de acolhimento de refugiados nos Estados Unidos e para que não faça distinção de raças, de nacionalidade ou de religião.


Donald Trump anunciou na sexta-feira uma reviravolta em matéria de imigração e de acolhimento de refugiados pelos EUA, visando certos países muçulmanos, a fim de impedir a eventual entrada no território norte-americano de “terroristas islâmicos radicais”.


Numa declaração conjunta, a Organização Internacional para as Migrações (OIM) e o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (UNHCR) lembraram que “o programa norte-americano de acolhimento é um dos mais importantes do mundo”.


“Os lugares de acolhimento disponibilizados por cada país são vitais. A OIM e o UNHCR esperam que os EUA continuem [a desempenhar] o seu importante papel de líder e prossigam com a sua longa tradição de proteção dos que fogem de conflitos e perseguições”, acrescentaram na declaração.


As duas agências responsáveis pelos migrantes e pelos refugiados relembraram ainda ao presidente Trump um princípio básico: “Nós estamos profundamente convencidos de que os refugiados devem receber um tratamento equitativo (…) e oportunidades de reintegração, seja qual for a sua religião, a sua nacionalidade ou a sua raça”, salientaram.


A OIM e o UNHCR afirmaram que estão prontos para “continuar a trabalhar ativamente e de maneira construtiva com o governo norte-americano, como [fazem] desde há décadas, para proteger os mais necessitados”.



RCS //GC

By Impala News / Lusa


RELACIONADOS

ONU apela aos EUA para que continuem a acolher refugiados

A ONU apelou ao presidente norte-americano, Donald Trump, para que prossiga com a longa tradição de acolhimento de refugiados nos Estados Unidos e para que não faça distinção de raças, de nacionalidade ou de religião.