Impala

Óbito/Soares: Líder do SPD recorda “um amigo especial da Alemanha”

O líder do Partido Social-Democrata alemão (SPD) apresentou condolências à família do “democrata convicto e europeísta empenhado” Mário Soares, que morreu no sábado, destacando a amizade especial entre o antigo Presidente da República e a Alemanha.

Berlim, 08 jan (Lusa) – O líder do Partido Social-Democrata alemão (SPD) apresentou condolências à família do “democrata convicto e europeísta empenhado” Mário Soares, que morreu no sábado, destacando a amizade especial entre o antigo Presidente da República e a Alemanha.


“Mário Soares foi sempre um amigo especial da Alemanha e do meu partido, o SPD. A sua amizade extraordinária com Willy Brandt, bem como a criação do Partido Socialista Português em 1973 na Academia da Fundação Friedrich Ebert em Bad Münstereifel, concederam um estatuto especial à amizade e parceria entre o SPD e o PS, que persiste até hoje”, disse Sigmar Gabriel em comunicado divulgado pelo SPD.


O vice-chanceler e líder dos sociais-democratas alemães lembrou Mário Soares “como democrata convicto e europeísta empenhado”, acrescentando que “mais do que nunca”, é um dever defender o seu legado de uma Europa unida em paz e liberdade, “contra o populismo e o nacionalismo”.


No comunicado, Sigmar Gabriel relembrou que o antigo chefe de Estado foi uma das personalidades mais importantes em Portugal e na Europa, referindo que “o corajoso compromisso com a democracia, justiça social e solidariedade moldou a vida e o trabalho de Mário Soares”.


“Com perseverança e uma coragem admirável, Mário Soares enfrentou a injustiça e a opressão ditatorial no seu país, abrindo caminho para a liberdade e democracia numa sociedade aberta”, disse.


Sigmar Gabriel referiu também o papel fundamental de Mário Soares na adesão de Portugal à então Comunidade Económica Europeia (CEE) em 1977, e considerou que o antigo Presidente da República “ajudou ao crescimento da Europa”.


“A morte de Mário Soares é também uma dura perda para nós, os sociais-democratas alemães”, afirmou Sigmar Gabriel, acrescentando que Mário Soares será sempre mantido como “uma memória honrosa”.


Mário Soares morreu no sábado, aos 92 anos, no Hospital da Cruz Vermelha, em Lisboa, onde estava internado há 26 dias, desde 13 de dezembro.


O Governo português decretou três dias de luto nacional, a partir de segunda-feira.


O corpo do antigo Presidente da República vai estar em câmara ardente no Mosteiro dos Jerónimos a partir das 13:00 de segunda-feira, e o funeral realiza-se a partir das 15:30 de terça-feira, no Cemitério dos Prazeres, em Lisboa.


Nascido a 07 de dezembro de 1924, em Lisboa, Mário Alberto Nobre Lopes Soares foi fundador e primeiro líder do PS, e ministro dos Negócios Estrangeiros após a revolução do 25 de Abril de 1974.


Primeiro-ministro entre 1976 e 1978 e entre 1983 e 1985, foi Soares a pedir a adesão à então Comunidade Económica Europeia (CEE), em 1977, e a assinar o respetivo tratado, em 1985.


Em 1986, ganhou as eleições presidenciais e foi Presidente da República durante dois mandatos, até 1996.



SYRO // PNG


Lusa/Fim


RELACIONADOS

Óbito/Soares: Líder do SPD recorda “um amigo especial da Alemanha”

O líder do Partido Social-Democrata alemão (SPD) apresentou condolências à família do “democrata convicto e europeísta empenhado” Mário Soares, que morreu no sábado, destacando a amizade especial entre o antigo Presidente da República e a Alemanha.