Impala

Óbito/Soares: Costa evoca ação de Soares para fim do corte de relações entre Índia e Portugal

O primeiro-ministro evocou hoje, perante a convenção da diáspora indiana, a ação de Mário Soares, enquanto ministro dos Negócios Estrangeiros dos governos provisórios pós-25 de Abril, para o restabelecimento de relações diplomáticas entre Portugal e Índia.

Bangalore, Índia, 08 jan (Lusa) – O primeiro-ministro evocou hoje, perante a convenção da diáspora indiana, a ação de Mário Soares, enquanto ministro dos Negócios Estrangeiros dos governos provisórios pós-25 de Abril, para o restabelecimento de relações diplomáticas entre Portugal e Índia.


António Costa falava perante uma plateia de milhares de delegados de origem indiana provenientes de todos os continentes do mundo, durante a sessão de abertura da Convenção “Pravasi Bharatiya Divas”.


As palavras proferidas por António Costa logo no início da sua intervenção foram depois sublinhadas pelo primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, que também lembrou o papel do antigo Presidente da República Mário Soares para a aproximação diplomática entre Portugal e a Índia.


Na sua intervenção, o primeiro-ministro português começou por agradecer por a convenção ter hoje aberto com um minuto de silêncio em memória do fundador do PS e antigo primeiro-ministro em dois governos constitucionais.


Tal como afirmara no sábado, na sua primeira reação à morte do primeiro líder do PS, António Costa repetiu a ideia de que Mário Soares era frequentemente “a voz e o rosto da liberdade em Portugal”.


“Ele teve um papel decisivo nas relações entre Portugal e a India. Foi Mário Soares, enquanto ministro dos Negócios Estrangeiros, que conduziu o processo de restabelecimento das relações diplomáticas entre os dois países após o 25 de Abril de 1974”, declarou o primeiro-ministro.


As relações diplomáticas entre Portugal e Índia estiveram cortadas durante 12 anos, quando, no final de 1961, forças militares da União Indiana ocuparam as antigas possessões coloniais portuguesas de Goa, Damão e Diu.


Mário Soares morreu no sábado, aos 92 anos, no Hospital da Cruz Vermelha, em Lisboa, onde estava internado há 26 dias, desde 13 de dezembro.


O Governo decretou três dias de luto nacional, a partir de segunda-feira.


Soares desempenhou os mais altos cargos no país e a sua vida confunde-se com a própria história da democracia portuguesa: combateu a ditadura, foi fundador do PS e Presidente da República.


Nascido a 07 de dezembro de 1924, em Lisboa, Mário Alberto Nobre Lopes Soares foi fundador e primeiro líder do PS, e ministro dos Negócios Estrangeiros após a revolução do 25 de Abril de 1974.


Primeiro-ministro entre 1976 e 1978 e entre 1983 e 1985, foi Soares a pedir a adesão à então Comunidade Económica Europeia (CEE), em 1977, e a assinar o respetivo tratado, em 1985. Em 1986, ganhou as eleições presidenciais e foi Presidente da República durante dois mandatos, até 1996.



PMF // FV.


Lusa/fim


RELACIONADOS

Óbito/Soares: Costa evoca ação de Soares para fim do corte de relações entre Índia e Portugal

O primeiro-ministro evocou hoje, perante a convenção da diáspora indiana, a ação de Mário Soares, enquanto ministro dos Negócios Estrangeiros dos governos provisórios pós-25 de Abril, para o restabelecimento de relações diplomáticas entre Portugal e Índia.